Parar de Fumar e seus efeitos colaterais

A mídia sempre bate na tecla contra o tabagismo e ressalta os males do tabagismo, porém, o fumante só descobre os efeitos em parar de fumar após fazer a sua tentativa.

Realmente a vida é muito mais saudável sem o cigarro, o desempenho físico melhora, além de evitar efeitos de diversas doenças, como por exemplo o câncer.

Mas estudos publicados pela Revista Médica Britânica de Controle do Tabaco (2003) fez um estudo com 174 pessoas que pararam de fumar.

Quando existe a abstinência da nicotina/cigarro corre mais riscos de desenvolver resfriados, dor de garganta, aftas e feridas na boca em até seis semanas sem a substância em seu corpo.

O aparecimento das aftas está relacionado à perda do efeito antibacteriano que o fumo pode causar.

Quanto ao resfriados, está relacionado a uma redução da atividade do sistema imunológico também relacionado ao fumo.

Além de todas estas reações, existe os problemas relacionados a ansiedade e ganho de peso, sendo este também relacionado com a nova forma que o sistema imunológico reage sem a nicotina transitando no sangue.

O estudo acompanhou o grupo em uma, duas e seis semanas sem fumar. Após uma semana pelo menos um terço das pessoas estava com resfriado, dores de garganta, tossindo e espirrando. Úlceras apareceram na mesma quantidade de pessoas na primeira quinzena sem nicotina.

Segundo Michael Ussher, um dos autores da pesquisa:

"É importante a pessoa estar psicologicamente preparada para os efeitos da abstinência ao fumo, que podem dar a ela menos vontade de continuar sem fumar"

"Tratam-se de efeitos colaterais inesperados da abstinência. É preciso alertar as pessoas."




Os artigos publicados no portal Índice de Saúde são para uso informativo e não substitui a consulta de um profissional de saúde.