Desejos por açúcar e chocolate devido à deficiência nutricional?
Autor:

Desejos por açúcar e chocolate devido à deficiência nutricional?

A falta de determinados nutrientes, minerais, vitaminas e elementos no sangue podem causar os desejos por açúcar e chocolate.

Desejos por açúcar e chocolate devido à deficiência nutricional

Os desejos alimentares são a forma do corpo nos dizer que nos faltam determinados nutrientes?

Desejos para chocolates e doces açucarados é geralmente devido a uma deficiência nutricional. A falta de determinados nutrientes, minerais, vitaminas e elementos no sangue podem causar os desejos por açúcar e chocolate.

A ânsia por alimentos, definida como um desejo intenso de comer um determinado alimento, é uma ocorrência comum em todas as culturas e sociedades.

Estes anseios, e aqueles associados a não-alimentos como a pagofagia (a prática de consumir gelo) e a geofagia (literalmente, comer terra), não estão ligados a qualquer insuficiência evidente de nutrientes.

Em alguns indivíduos, os desejos alimentares e a restrição alimentar podem estar relacionados; no entanto, estas observações são inconsistentes com a maioria dos estudos publicados.

Uma série de mecanismos têm sido avançados para explicar as mudanças fisiológicas e patológicas no comportamento que levam a desejos alimentares e uma perda de controle sobre a alimentação.

Este último, é claro, é uma grande preocupação com a obesidade e uma série de transtornos alimentares.

Pesquisadores têm empregado a ressonância magnética funcional (RMf) para explorar a base neural dos desejos e os dados de imagem sugerem que os componentes da amígdala, cingulado anterior, córtex frontal orbital, ínsula, hipocampo, caudato e córtex pré-frontal dorsolateral são ativados durante os períodos de pining por alimento.

Parece que pode haver uma rede de regiões neurais envolvidas com a emoção, memória e estímulos quimiossensoriais da fissura alimentar.

Comer é geralmente uma experiência social prazerosa. Usar o consumo de chocolate como exemplo, segue-se que pode haver constituintes no chocolate que influenciam a saciedade ou alteram nossa aceitação do tratamento, incluindo compostos endógenos psicoativos ou que alteram o humor, como feniletilamina, tiramina, serotonina, triptofano e magnésio.

É importante notar, no entanto, que muitos outros alimentos, incluindo produtos lácteos, também contêm estes compostos em concentrações mais elevadas, mas tendem a ter um apelo um pouco menor do que o chocolate.

Estudos sugerem que a fissura pelo chocolate, especialmente em mulheres, pode resultar de uma sensação de privação ou de reação ao estresse, flutuação hormonal perimenstrual e modulação das concentrações...

... de neuropeptídeos.

Independentemente do(s) fator(s) que inicia(m) o desejo por chocolate em mulheres, as explicações fisiológicas aparentes são expressas de forma inconsistente em uma diversidade de culturas, especialmente entre aquelas que consomem grandes quantidades de chocolate.

As mulheres espanholas, por exemplo, comem quantidades relativamente grandes de chocolate e apresentam desejos limitados de chocolate. Isto contrasta com muitas mulheres americanas que consomem relativamente pouco chocolate, mas apresentam uma forte ânsia por chocolate. Claramente, a relação entre preferências alimentares, humor e ciclo menstrual é complexa.

Alguns pesquisadores têm proposto que a ânsia por carboidratos (com o consumo resultante) atenua a depressão. Esta teoria resulta de algumas observações de que a dieta pode modular o sistema serotonérgico no cérebro, que está ligado ao humor.

Pesquisas que mostram a administração de naloxona, um antagonista opiáceo, parece reduzir a ingestão de alimentos fornece evidências adicionais para uma interação nutrição-neurológica. Este efeito parece inibir principalmente o consumo de alimentos doces e ricos em gordura, como o chocolate.

Estudos de canabinoides e antagonismo de receptores canabinóides lançaram mais luz sobre a complexa neuroquímica do apetite seletivo.

Além disso, pesquisas sobre saciedade ou mecanismos de controle do apetite residentes no trato gastrointestinal levaram à identificação de todo um espectro de neuropeptídeos intestinais com elaborado feedback do sistema nervoso central.

Depois de reconhecer a complexidade das influências sobre e os mecanismos de apetite e desejo "normais", é importante rever o que sabemos sobre patologia.

Por exemplo, a pagofagia é frequentemente observada em crianças, mulheres grávidas e adultos jovens. Esse comportamento pode contribuir ou exacerbar a insuficiência de nutrientes e levar à anemia grave por deficiência de ferro, embora a pica (desejo de consumir itens não alimentares) não seja resultado desta última.

Geofagia, como comer cupins na África, é uma prática em muitas culturas. Este distúrbio alimentar pode resultar em uma série de infecções bacterianas e parasitárias, bem como vários envenenamentos e toxicidades potencialmente fatais.

Diversos mecanismos têm sido propostos para auxiliar a nossa compreensão da fissura alimentar e da pica. Deficiências nutricionais podem resultar desses comportamentos anormais, entretanto, a literatura científica não apóia uma relação causal com a fissura ou pica alimentar.

Os "desejos" sem...

publicidade

...dúvida representam um verdadeiro paradigma bio-psico-social no qual fatores socioculturais, ambientes estressantes e flutuação hormonal participam de um drama complexo realizado em um estágio neurológico e o resultado tem variado - e ainda incompletamente compreendido - implicações para a nutrição e saúde.

Algumas das razões são detalhadas abaixo devido aos desejos por chocolate e açúcar:

1. Dieta desbalanceada

O desejo para deleites açucarados geralmente ocorre devido a um desequilíbrio na dieta. A dieta usual do suco pronto de caixinha, sanduíches, pizzas, hamburgers é uma dieta cheia de açúcar que causa a dependência e o apego similares a o que uma droga faria.

O relógio biológico dentro do corpo é ajustado para um determinado nível de consumo em breve e imediatamente começa a ansiar por ele quando você começa a cortar o consumo de doces.

2. Falta de minerais e vitaminas

Os desejos de chocolates e açúcar pode ser devido à falta de algumas vitaminas e minerais como cobre, zinco, magnésio, cromo, vitaminas B, vitamina C e ácidos graxos vitais, como indicado pela academia de nutrição e dietética.

3. Baixos níveis de açúcar no sangue

Um nível extremo de desejo por açúcar indica baixo teor de açúcar no sangue. O sangue requer um certo nível de glicose para o seu funcionamento regular. Quando esta quantidade vai para baixo, o corpo reage naturalmente à sua ingestão de nível de glicose e dispara o desejo de ter açúcar ou doces. O desejo por açúcar também indica a falta de minerais como o cromo e o magnésio.

4. Deficiência no ferro e no sangue

O desejo para doces é observado entre pacientes anêmicos e mulheres especialmente durante a menstruação. Esta propensão é devido a uma flutuação em hormonas de estrogênio. Durante estas circunstâncias, o corpo não tem o poder de absorver nutrientes.

5. Deficiência nutricional no cérebro

O desejo por açúcar e chocolate pode aumentar se você está passando por depressão ou estresse. Geralmente, ao comer um doce cheio de açúcar, causa uma sensação de conforto e um sentimento de felicidade que é provisória. Para evitar isso, comer frutas que são naturalmente doces e evitar doces açucarados e processados.

Sobre o Autor
Isadora Kepner - Nutricionista Autora no Índice de Saúde Brasil

Nutricionista de profissão e de amor, Isadora Kepner tem 22 anos de experiência em consultório e atualmente dedica boa parte do seu tempo em ajudar o próximo com artigos e respondendo perguntas sobre nutrição e alimentação saudável.

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de profissionais de saúde ou um especialista na área de saúde.
Em caso de emergência médica ligue para 192 e solicite ajuda!
Disque Saúde SUS (Sistema Único de Saúde) ligue para 136
Centro de Valorização da Vida (CVV) ligue para 188.

publicidade