Adenomiose Uterina - Causas, Sintomas, Tratamento e Cura

Adenomiose Uterina - Causas, Sintomas, Tratamento e Cura

Adenomiose Uterina é uma condição na qual o revestimento interno do útero (o endométrio) rompe a parede muscular do útero (o miométrio).

publicidade
publicidade
Sintomas e Doenças

Adenomiose uterina é uma condição na qual o revestimento interno do útero (o endométrio) rompe a parede muscular do útero (o miométrio). A condição pode causar cólicas menstruais, menor pressão abdominal e inchaço antes dos períodos menstruais e pode resultar em períodos pesados.

 A adenomiose ocorre mais frequentemente no final do período fértil e, normalmente, desaparece após a menopausa.

Às vezes, a adenomiose pode causar sangramento menstrual intenso ou prolongado, cólicas fortes, dor durante a relação sexual ou coágulos sanguíneos durante a menstruação. Certos medicamentos podem ajudar a aliviar a dor ou diminuir o sangramento intenso.

A remoção do útero (histerectomia) é a única cura.

A condição pode estar localizada em todo o útero ou localizada em um ponto apenas.

Embora a adenomiose seja considerada uma condição benigna (sem risco de vida), a dor frequente e o sangramento intenso associado a ela podem ter um impacto negativo na qualidade de vida da mulher.

Comparação de um útero sádio e um com a condição.
Útero com Adenomiose Uterina

Sintomas

Às vezes, sintomas da adenomiose podem causar sangramento menstrual intenso ou prolongado, cólicas fortes, dor durante a relação sexual ou coágulos sanguíneos durante a menstruação

Enquanto algumas mulheres diagnosticadas com adenomiose não apresentam sintomas, a doença pode causar:

  • Sangramento menstrual intenso e prolongado
  • Cólicas menstruais severas
  • Pressão abdominal e inchaço

As pessoas podem ter:

  • Dores locais: no abdômen ou pélvis
  • Dores circunstanciais: durante a relação sexual
  • Na menstruação: menstruação dolorosa, menstruação intensa, menstruação irregular ou sangramento pela vagina

Quem pode sofrer com a condição

É uma condição comum e mais frequentemente diagnosticado em mulheres de meia-idade e mulheres que tiveram filhos. Alguns estudos também sugerem que mulheres que tiveram cirurgia uterina prévia podem estar em risco com...

publicidade ;)

... a condição.

Embora a causa da condição não seja conhecida, estudos sugeriram que vários hormônios - incluindo estrogênio, progesterona, prolactina e hormônio folículo-estimulante - podem desencadear a doença.

Diagnóstico

Até recentemente, a única maneira definitiva de diagnosticar a adenomiose era realizar uma histerectomia e examinar o tecido uterino sob um microscópio. No entanto, a tecnologia de imagem tornou possível aos médicos reconhecer a doença sem cirurgia. Usando ressonância magnética ou ultra-sonografia transvaginal, os médicos podem ver características da doença no útero.

Se um médico suspeitar de adenomiose, o primeiro passo é um exame físico. Um exame pélvico pode revelar um útero aumentado e dolorido. Um ultra-som pode permitir ao médico ver o útero, seu revestimento e sua parede muscular. Embora a ultrassonografia não possa diagnosticar definitivamente a adenomiose, ela pode ajudar a descartar outras condições com sintomas semelhantes.

Outra técnica usada algumas vezes para ajudar a avaliar os sintomas associados à adenomiose é a histerossonografia. Na histerossonografia, a solução salina é injetada através de um minúsculo tubo no útero à medida que um ultra-som é administrado.

A ressonância magnética pode ser usada para confirmar o diagnóstico de adenomiose em mulheres com sangramento uterino anormal.

Como os sintomas são tão semelhantes, a adenomiose é muitas vezes diagnosticada erroneamente como miomas uterinos. No entanto, as duas condições não são as mesmas. Embora os miomas sejam tumores benignos que crescem dentro ou na parede uterina, a adenomiose é uma massa definida de células dentro da parede uterina. Um diagnóstico preciso é fundamental na escolha do tratamento correto.

Tratamento

O tratamento consiste no uso de contraceptivos.

Certos medicamentos podem ajudar a aliviar a dor ou diminuir o sangramento intenso.

A remoção do útero (histerectomia) é...

publicidade

...a única cura.

O tratamento depende, em parte, dos sintomas, da gravidade e da conclusão da gravidez.

Os sintomas leves podem ser tratados com medicamentos analgésicos de venda livre e o uso de uma compressa para aliviar cãibras.

  • Medicamentos anti-inflamatórios. Seu médico pode prescrever medicamentos antiinflamatórios não-esteróides (AINEs) para aliviar a dor leve associada à doença. A medicação geralmente são iniciada de um a dois dias antes do início seu período e continuou até os primeiros dias de seu período.
  • Terapia hormonal. Sintomas como períodos dolorosos ou intensos podem ser controlados com terapias hormonais, como um DIU liberador de levonorgestrel (que é inserido no útero), inibidores de aromatase e análogos de GnRH.
  • Embolização da artéria uterina. Neste procedimento minimamente invasivo, que é comumente usado para ajudar a diminuir os miomas, minúsculas partículas são usadas para bloquear os vasos sanguíneos que fornecem fluxo sanguíneo para a adenomiose. As partículas são guiadas através de um pequeno tubo inserido na vagina através do colo do útero. Com o suprimento de sangue cortado, a adenomiose encolhe.
  • Ablação endometrial. Este minimamente invasivo procedimento destrói o revestimento do útero. A ablação endometrial mostrou ser eficaz no alívio de sintomas em alguns pacientes quando a adenomiose não penetrou profundamente na parede muscular do útero.

Adenomiose causa infertilidade?

Como muitas mulheres que apresentam a condição também têm endometriose, é difícil dizer precisamente qual papel a adenomiose pode ter nos problemas de fertilidade. No entanto, alguns estudos mostraram que a adenomiose uterina pode contribuir para a infertilidade.

Existe cura para Adenomiose?

A única cura definitiva para adenomiose é uma histerectomia, ou a remoção do útero. Este é frequentemente o tratamento de escolha para mulheres com sintomas significativos.

publicidade

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de profissionais de saúde ou um especialista na área de saúde.
Em caso de emergência médica ligue para 192 e solicite ajuda!
Disque Saúde SUS (Sistema Único de Saúde) ligue para 136
Centro de Valorização da Vida (CVV) ligue para 188.