Medo de ser tocado | Causas e Tratamentos para a Afefobia

Medo de ser tocado | Causas e Tratamentos para a Afefobia

A afefobia é um transtorno de ansiedade caracterizado pelo medo de ser tocado. Outros nomes para a afefobia incluem afofosmofobia e a tixofobia. Ser tocado por estranhos ou sem consentimento pode deixar muitas pessoas desconfortáveis.

publicidade
publicidade
Sintomas e Doenças

A afefobia é um transtorno de ansiedade caracterizado pelo medo de ser tocado. Outros nomes para a afefobia incluem afofosmofobia e a tixofobia. Ser tocado por estranhos ou sem consentimento pode deixar muitas pessoas desconfortáveis.

Pessoas com haphephobia têm medo de serem tocadas. Com a haphephobia, o toque humano pode ser avassalador e até doloroso. Em alguns casos, o medo é específico para apenas um gênero, enquanto em outros casos o medo se relaciona com todas as pessoas.

No entanto, se o medo é intenso, aparece mesmo quando tocado por familiares ou amigos, e se causa sofrimento significativo, pode ser a felicidade.

Esta condição é diferente de uma hipersensibilidade ao toque, que é chamada de alodinia. Uma pessoa com alodinia também pode evitar ser tocada, mas o faz porque causa dor e não medo.

Sintomas

A afefobia é mais do que apenas se encolher internamente quando alguém lhe dá um abraço indesejado ou invade seu espaço pessoal no metrô. Em vez disso, é um medo muitas vezes paralisante que pode ter um efeito devastador em sua vida se não for tratado. Essa sensação de paralisia é o que separa alguém que é simplesmente desconfortável com o toque de alguém que tem uma verdadeira fobia.

No caso da afefobia, muitas vezes há uma reação física ao toque que pode incluir:

  • ataques de pânico
  • urticária
  • desmaio
  • náusea
  • palpitações cardíacas
  • hiperventilação

Em alguns casos, o medo pode se tornar tão intenso que você desenvolve agorafobia. Agorafobia é um transtorno de ansiedade, onde uma pessoa evita lugares e...

publicidade ;)

... situações que causam ansiedade. No caso de pessoas com afefobia, elas podem evitar situações que poderiam levar a ser tocadas.

Diagnóstico

A afefobia é semelhante a outras fobias específicas, embora esteja entre as mais raras. De acordo com o Instituto Nacional de Saúde Mental, mais de 10 milhões de adultos têm alguma fobia. Desconhece-se quantas pessoas experimentam a afefobia.

A afefobia é diagnosticada com os mesmos critérios que a nova edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais delineia para diagnosticar qualquer fobia específica.

Os seguintes critérios devem ser atendidos para serem diagnosticados com uma fobia:

  1. A pessoa demonstra um medo excessivo ou irracional da situação (neste caso, tocar).
  2. A exposição à situação provoca uma resposta imediata à ansiedade ou um ataque de pânico.
  3. A pessoa sabe que o medo é excessivo e irracional.
  4. A situação é ativamente evitada quando possível.
  5. A evitação ou ansiedade interfere na capacidade da pessoa de funcionar em atividades normais do dia-a-dia.

O que causa a afefobia?

Não há uma causa conhecida para a ocorrência de afefobia. Alguns pesquisadores acreditam que as pessoas nascem com isso ou que uma mudança na função cerebral pode desempenhar um papel. Outros acreditam que isso é causado por experiências passadas traumáticas. Pode ser mais provável que se desenvolva naqueles que sofreram agressão sexual ou outro trauma.

Agressão sexual ou outro trauma pode desencadear a afefobia, mas mais frequentemente, parece desenvolver-se sem qualquer causa conhecida. Isto é verdade para muitos casos de fobias específicas. A boa notícia é que não é necessário...

publicidade

...conhecer a causa para tratar com sucesso este transtorno de ansiedade. A maioria das pessoas que não consegue rastrear sua ocorrência para um evento específico desenvolveu o medo na primeira infância, mas a situação desencadeante pode ocorrer em qualquer período da vida.

Como lidar com a afefobia

Não há "cura" para a ocorrência de infecciosidade, mas existem opções de tratamento que podem ajudar você a gerenciar sua condição.

Terapia exposta

Nesta forma de tratamento, você está lentamente exposto à situação temida - neste caso, ser tocado. Com um terapeuta treinado, você pode criar um ambiente seguro no qual você pode lentamente se permitir ficar mais confortável com seus medos. Experiências positivas repetidas através da exposição podem lentamente mudar suas emoções negativas para o toque.

Medicamentos

Bruce Cameron, um conselheiro licenciado em Dallas, Texas, que trata pessoas que sofrem de fobia, diz que as pessoas com afefobia muitas vezes também têm ansiedade ou depressão. Tratar condições suprajacentes com antidepressivos ou benzodiazepínicos para ansiedade são úteis em alguns casos.

Terapias comportamentais

A terapia comportamental cognitiva, incluindo a terapia comportamental dialética ou a hipnose, pode às vezes ajudar as pessoas a obter controle sobre medos e fobias.

Quando procurar ajuda

Algumas fobias específicas podem ser autogerenciadas, mas se o medo do toque interferir em seu trabalho, família ou vida pessoal, então é hora de procurar ajuda. O tratamento começar mais cedo pode ser mais fácil. Com o tratamento adequado, a maioria das pessoas com afefobia pode levar uma vida plena e saudável.

publicidade

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de profissionais de saúde ou um especialista na área de saúde.
Em caso de emergência médica ligue para 192 e solicite ajuda!
Disque Saúde SUS (Sistema Único de Saúde) ligue para 136
Centro de Valorização da Vida (CVV) ligue para 188.