Automutilação e cortes | Causas, sinais de aviso e tratamentos

Automutilação e cortes | Causas, sinais de aviso e tratamentos

A automutilação envolve lesões corporais auto-infligidas que são severas o suficiente para causar dano tecidual ou deixar marcas que duram várias horas.

publicidade

A automutilação envolve lesões corporais auto-infligidas que são severas o suficiente para causar dano tecidual ou deixar marcas que duram várias horas.

A automutilação muitas vezes pode ficar escondida à vista, dificultando a identificação. Entender e reconhecer os sinais, sintomas, riscos e mais é o primeiro passo na jornada de recuperação.

O corte é a forma mais comum de auto-ferimento, mas queimar, bater a cabeça e coçar também são comuns.

Outras formas de auto-ferimento incluem morder, arrancar a pele, puxar o cabelo, bater no corpo com objetos ou bater em objetos com o corpo.

Por que as pessoas se auto-ferem?

Embora sentimentos suicidas possam acompanhar o auto-ferimento, isso não indica necessariamente uma tentativa de suicídio.

Na maioria das vezes é simplesmente um mecanismo para lidar com o sofrimento emocional. As pessoas que selecionam essa saída emocional podem usá-la para expressar sentimentos, lidar com sentimentos de irrealidade ou entorpecimento, para parar flashbacks, para se punir ou para aliviar a tensão.

Quem pode ter automutilação?

Embora a automutilação seja reconhecida como um problema comum entre a população adolescente, ela não se limita aos adolescentes. Pessoas de todos os sexos, nacionalidades, grupos socioeconômicos e idades podem ser auto-agressoras.

Sinais de aviso

As pessoas que se auto-lesionam tornam-se muito hábeis em esconder...

publicidade

... cicatrizes ou explicá-las. Procure sinais como a preferência por usar roupas escondidas em todos os momentos (por exemplo, mangas longas em clima quente), evitar situações em que roupas mais reveladoras possam ser esperadas (por exemplo, recusa inexplicável de ir a uma festa) ou queixas incomuns lesão acidental (por exemplo, um dono de gato que freqüentemente tem arranhões nos braços).

Sinais e sintomas de autolesão

Sinais e sintomas de autolesão e autoflagelação variam dependendo da pessoa, do método de autolesão, da presença de abuso de substâncias e do desenvolvimento de outras habilidades de enfrentamento. Alguns dos sintomas mais comuns de autolesão incluem:

  • Cicatrizes de cortes e queimaduras em partes do corpo que podem ser escondidas com roupas
  • Novas feridas recorrentes, como arranhões, cortes ou escoriações, lacerações ou contusões
  • Ossos quebrados com explicações inadequadas quanto à causa
  • Manter objetos pontiagudos por perto o tempo todo
  • As lesões são sempre atribuídas a um acidente
  • Desafios interpessoais crônicos que levam à retirada e ao isolamento social
  • Dificuldades de controle de impulso
  • Sentimento de desamparo, sem esperança ou sem valor
  • Hostilidade Internalizada
  • Obcecado com o comportamento de autoagressão
  • Pensamentos frequentes sobre se envolver em autoagressão
  • Após a autoagressão, o indivíduo pode experimentar sofrimento severo, culpa e vergonha

Efeitos da auto-lesão

Se não for tratada, a automutilação pode levar a...

publicidade

...muitas conseqüências, pequenas e potencialmente fatais, e é por isso que a automutilação deve ser tratada o quanto antes.

Alguns dos principais efeitos da automutilação podem incluir os seguintes:

  • Ossos quebrados que não curam corretamente
  • Cicatrização permanente
  • Sangramento grave e anemia
  • Dano tecidual permanente
  • Dor crônica
  • Feridas infectadas
  • Evitar interações sociais
  • Pensamentos ilusórios
  • Estados de humor negativos
  • Dependência química
  • Morte de uma auto-agressão que deu errado

Tratamentos

Medicamentos como antidepressivos, estabilizadores do humor e ansiolíticos podem aliviar os sentimentos subjacentes com os quais o paciente está tentando lidar via auto-ferimento. O paciente também deve aprender mecanismos de enfrentamento para substituir o auto-ferimento.

Uma vez que o paciente esteja estável, o trabalho terapêutico deve ser feito para ajudar a lidar com os problemas subjacentes que estão causando sua angústia. Alguns especialistas dizem que a hospitalização ou parada forçada da automutilação não é um tratamento útil. Pode fazer com que o médico e os amigos e familiares envolvidos se sintam mais confortáveis, mas não faz nada para ajudar os problemas subjacentes.

Além disso, o paciente geralmente não é nem psicótico nem ativamente suicida e se beneficiará mais trabalhando com um médico que é compassivo com as razões que eles estão se machucando. O desejo de cooperar e melhorar é um fator importante na recuperação.

Sobre o Autor

Médico Generalista com 35 anos de experiência em Clínica Geral / Saúde da Família.

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de profissionais de saúde ou um especialista na área de saúde.
Em caso de emergência médica ligue para 192 e solicite ajuda!
Disque Saúde SUS (Sistema Único de Saúde) ligue para 136
Centro de Valorização da Vida (CVV) ligue para 188.

publicidade