Câncer e dor óssea

Câncer e dor óssea

A dor é o sinal mais comum de câncer ósseo e pode se tornar mais visível à medida que o tumor cresce. A dor óssea pode causar uma dor surda ou profunda numa região óssea.

publicidade
publicidade
Sintomas e Doenças

Dor no osso e câncer

Dor óssea em pacientes com câncer é comumente causada por células cancerígenas que se espalharam para os ossos, chamadas de metástases ósseas. A dor óssea é comumente o primeiro sintoma de metástases ósseas e pode levar a testes que confirmarão o diagnóstico. O tratamento para dor óssea destina-se a aliviar a dor, tratar fraturas, reduzir o risco de fraturas e prevenir ou retardar complicações ósseas adicionais. As opções de tratamento incluem analgésicos, medicamentos com bifosfonatos, radioterapia e / ou cirurgia.

O que causa dor óssea?

Uma causa comum de dor óssea é o câncer metastático. A propagação do câncer de seu local de origem para outro local do corpo é chamada de metástase. Uma metástase óssea não é um novo tipo de câncer, mas consiste de células cancerígenas do câncer original, como mama, próstata, pulmão, rim ou tireoide, que se espalharam para o osso.

Células cancerosas podem se espalhar, ou metastatizar, através do sangue e dos sistemas linfáticos. O osso é um dos locais mais comuns no corpo para o qual o câncer metastatiza. A metástase óssea geralmente ocorre por meio da corrente sanguínea. Uma célula cancerígena pode romper com a localização original no corpo e viajar no sistema circulatório até que se aloje em um pequena rede capilar no tecido ósseo. O câncer também pode se espalhar para os ossos pela erosão do câncer adjacente, embora isso ocorra com menos frequência do que a disseminada pela corrente sangüínea.

A dor ocorre com câncer ósseo, porque o câncer interrompe o equilíbrio da atividade celular normal nos ossos, causando danos ao tecido ósseo. O osso normal está constantemente sendo remodelado ou desmontado e reconstruído. Células cancerosas que se espalharam para o osso interrompem esse equilíbrio entre a atividade dos osteoclastos (células que quebram o osso) e os osteoblastos (células que constroem o osso), resultando em ossos enfraquecidos ou excessivamente construídos. Esse dano pode esticar o periósteo (membrana espessa que cobre osso) ou estimular os nervos dentro do osso, causando dor.

Sintomas de câncer ósseo

Vários sintomas podem surgir à medida que o câncer ósseo se desenvolve e cresce, sendo a dor o sintoma mais frequente. Embora possa ocorrer em qualquer osso do corpo, o câncer ósseo ocorre mais freqüentemente nos ossos longos dos braços e pernas.

Muitos sintomas de câncer ósseo também podem ser causados por condições como artrite, osteoporose ou lesão. Se você tiver um ou mais desses sintomas, discutir com seu médico para identificar a causa e receber o tratamento correto, se necessário.

Sintomas de câncer ósseo

Os possíveis sintomas do câncer ósseo incluem:

  • Dor óssea: A dor é o sinal mais comum de câncer ósseo e pode se tornar mais visível à medida que o tumor cresce. A dor óssea pode causar uma dor surda ou profunda numa região óssea ou óssea (por exemplo, costas, pélvis, pernas, costelas, braços). No início, a dor só pode ocorrer à noite ou quando você está ativo. À medida que o câncer se desenvolve, porém, a dor pode se tornar mais persistente. Outras condições, como osteoporose ou artrite, também podem causar dor nos ossos ou articulações.
  • Inchaço: A área onde a dor está localizada pode começar a mostrar sinais de inchaço, ou um nódulo ou massa pode estar presente.
  • Fraturas: Células cancerosas podem enfraquecer...

    publicidade ;)

    ... o osso, e isso às vezes pode resultar em fratura. A ruptura pode ocorrer em uma área do osso que anteriormente estava dolorida ou dolorida por um período de tempo.

  • Diminuição da mobilidade: em alguns casos, se a localização do tumor estiver próxima a uma articulação, pode tornar os movimentos normais difíceis ou dolorosos.
  • Outros sintomas: Perda de peso não intencional e fadiga que acompanha a dor óssea podem ser um sinal de câncer ósseo. Outros sintomas, como dificuldade para respirar, podem se desenvolver se o câncer se espalhar para outros órgãos.

Fatores de risco para câncer ósseo

Embora as causas exatas do câncer ósseo sejam desconhecidas, alguns fatores que podem aumentar o risco de uma pessoa desenvolver câncer ósseo foram identificados. Alguns exemplos são distúrbios genéticos e tratamentos anteriores para outras condições.

Fatores de risco para câncer ósseo

Genética

Distúrbios genéticos: Existem várias síndromes hereditárias causadas por mutações em específicos genes que são considerados fatores de risco para câncer ósseo:

  • A síndrome de Li-Fraumeni, a síndrome de Rothmund-Thompson e a mutação do gene do retinoblastoma (associado a um câncer ocular raro) têm sido associados a um risco aumentado em crianças de desenvolver osteossarcoma.
  • A síndrome de exostoses múltiplas (também conhecida como síndrome de múltiplos osteocondromas), uma condição hereditária associada à formação de protuberâncias de cartilagem nos ossos, tem sido associada a um risco aumentado de condrossarcoma.
  • Alguns osteossarcomas e chordomas foram encontrados em famílias, mas a mutação genética subjacente ainda não foi identificada.

Outras condições

  • Doença de Paget: Esta condição não cancerosa que faz com que os ossos se tornem espessos e quebradiços, e quebre facilmente, é considerada um fator de risco para câncer ósseo. Esta doença tem sido associada ao desenvolvimento de câncer ósseo em aproximadamente 1% dos indivíduos. (Nota: A doença de Paget na mama, uma forma rara de câncer de mama, não tem relação médica com a doença óssea de Paget).
  • Encondromatose múltipla: Pacientes com muitos tumores benignos de cartilagem, conhecidos como encondromas, têm risco aumentado de desenvolvimento de condrossarcoma.

Tratamento anterior

  • Radiação: A exposição dos ossos a altas doses de radiação, como quando a radioterapia é usada para tratar outra forma de câncer, pode aumentar o risco de um câncer ósseo primário se formar nessas áreas. Este risco é maior em adultos jovens. Minerais radioativos, como o rádio ou o estrôncio, podem se acumular nos ossos e também causar câncer ósseo primário.
  • Transplante de medula óssea: Indivíduos que foram submetidos a um transplante de medula óssea para o tratamento de outra condição podem ter um risco aumentado de desenvolver osteossarcoma.

Sistema de diagnóstico para câncer ósseo

Tomar uma decisão de tratamento educado começa com o estágio, ou progressão, da doença. O estágio do câncer ósseo é um dos fatores mais importantes na avaliação das opções de tratamento.

Oncologistas usam uma variedade de testes diagnósticos para avaliar o câncer ósseo e desenvolver um plano de tratamento individualizado. Se você foi diagnosticado recentemente, a sua patologia vai ser revisada para confirmar que você recebeu o diagnóstico correto e as informações de estadiamento e desenvolver um plano de tratamento personalizado. Se você tiver recorrência, testes abrangentes serão realizados para identificar uma abordagem de tratamento adequada às suas necessidades.

Como são diagnosticadas as metástases ósseas?

As metástases ósseas são geralmente diagnosticadas porque o paciente experimenta dor perto das metástases e relata isso ao seu...

publicidade

...médico. O médico pode então completar um raio-x ou um procedimento mais complicado chamado de cintilografia óssea para confirmar que a dor é causada por danos relacionados ao câncer nos ossos. Em uma varredura óssea, partículas radioativas de baixo nível são injetadas em uma veia. Eles circulam pelo corpo e alguns são absorvidos pelos ossos. Uma alta concentração dessas partículas radioativas nos resultados da varredura óssea indica a presença de células cancerígenas de rápido crescimento no osso.

Dor óssea pode ser difícil diferenciar de dor lombar comum ou artrite. Normalmente, a dor devido a metástase óssea é bastante constante, mesmo à noite. Pode ser pior em diferentes posições, como em pé, o que pode comprimir o câncer em um osso com peso. Se a dor durar mais de uma semana ou duas, não parece estar indo embora, e é diferente de outras dores que podem ter sido experimentadas, ela deve ser avaliada por um médico.

As metástases ósseas geralmente ocorrem nas partes centrais do esqueleto, embora possam ser encontradas em qualquer parte do sistema esquelético. Locais comuns para metástases ósseas são as costas, pelve, coxa, costelas, parte superior do braço e crânio. Mais de 90% de todas as metástases são encontradas nesses locais.

Como é tratada a dor óssea?

O objetivo do tratamento da dor óssea causada por metástases ósseas é aliviar a dor, tratar fraturas, reduzir o risco de fraturas e prevenir ou retardar complicações ósseas adicionais. As opções de tratamento para metástases ósseas incluem analgésicos, medicamentos com bifosfonatos, radioterapia e / ou cirurgia.

Medicamentos para dor: A dor óssea relacionada ao câncer pode ser tratada com vários analgésicos. Apesar da alegação de que 90% da dor dos pacientes adultos com câncer possa ser aliviada, a dor não controlada relacionada ao câncer ainda é uma preocupação, particularmente para os pacientes que vivem em casa. Pesquisa apresentada na Reunião Anual de 2003 da Oncology Nursing Society indica que a maioria pacientes com câncer não são prescritos medicação suficiente para controlar sua dor.

As recomendações da Organização Mundial de Saúde para o alívio da dor oncológica indicam que a gravidade da dor de um paciente, avaliada em uma escala de 1 a 10, determinará que tipo de medicação para dor é usada.

  • Dor Leve a Moderada (1-3): Os não opioides são a primeira escolha de tratamento para dor leve a moderada. Isso inclui medicamentos como o acetaminofeno (Tylenol) ou um medicamento antiinflamatório não esteroidal (AINE), como o ibuprofeno.
  • Dor Moderada a Severa (4-6): Pacientes com dor moderada a grave que não responderam ao primeiro passo devem receber um opioide. Estes medicamentos podem incluir codeína, hidrocodona, dilhidromodieno, oxicodona, propoxifeno e tramadol. O acetaminofeno ou um AINE podem ser adicionados.
  • Dor intensa (7-10): Pacientes com dor intensa ou pacientes cuja dor não tenha sido aliviada pelas recomendações anteriores geralmente receberão um opioide mais forte. Os opioides para dor intensa podem incluir morfina, oxicodona, hidromorfona, metadona, levopanol ou fentanil. Uma medicação não opióide, como aspirina, acetaminofeno ou ibuprofeno, pode ser adicionada em alguns casos.

Os medicamentos para a dor podem ter efeitos colaterais, incluindo sonolência, constipação, tontura, náusea e vômito. O alívio de analgésicos é temporário e a dor pode retornar em pouco tempo; Assim, os medicamentos são melhor utilizados no início da dor ou em intervalos regulares.

publicidade

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de profissionais de saúde ou um especialista na área de saúde.
Em caso de emergência médica ligue para 192 e solicite ajuda!
Disque Saúde SUS (Sistema Único de Saúde) ligue para 136
Centro de Valorização da Vida (CVV) ligue para 188.