Causas da Paralisia Temporária da Perna
Autor:

Causas da Paralisia Temporária da Perna

Paralisia temporária da perna é um sintoma que varia na severidade da fraqueza da perna e perda de movimento.

Paralisia temporária da perna é um sintoma angustiante, que varia na severidade da fraqueza da perna para completar a perda de movimento no membro afetado.

Anomalias que afetam o cérebro ou os nervos que controlam os músculos da perna podem causar paralisia temporária da perna.

O desenvolvimento da paralisia temporária da perna requer uma avaliação médica urgente, pois este sintoma pode servir de sinal de alerta de uma condição potencialmente fatal.

Ataque isquêmico transitório

Um ataque isquêmico transitório, reflete um breve episódio de suprimento de sangue reduzido para uma área do cérebro.

Um ataque isquêmico transitório envolvendo a área do cérebro que controla a perna pode causar paralisia temporária da perna.

Os sintomas de um ataque isquêmico transitório caracteristicamente podem se resolver sem danos permanentes quando o fluxo sanguíneo normal retoma, que normalmente ocorre dentro de uma a 24 horas.

Importante, um...

... ataque isquêmico provisório pode sinalizar um derrame iminente.

Aproximadamente 33% das pessoas que têm uma experiência de um ataque isquêmico provisório pode ter um problema no futuro, relata o Instituto Nacional de distúrbios neurológicos e derrame.

Derrame

Uma interrupção no fluxo sanguíneo do cérebro que resulta em uma área localizada de morte de células cerebrais constitui um derrame.

Quando a área do cérebro que controla a perna está envolvida em um acidente vascular cerebral, a paralisia da perna se desenvolve caracteristicamente.

A maioria dos derrames ocorrem devido a um coágulo sanguíneo que bloqueia uma artéria fornecendo sangue para o cérebro, relata os centros de controle de doenças e prevenção.

Síndrome de Guillain-Barré

Síndrome de Guillain-Barré, também conhecida como Polineuropatia inflamatória aguda desmielinizante, representa um ataque do sistema imunológico sobre a cobertura de isolamento dos nervos.

A destruição desta cobertura, chamada mielina, interfere com...

publicidade

...a transmissão de sinais nervosos para os músculos, levando a paralisia temporária.

Síndrome de Guillain-Barré mais frequentemente ocorre alguns dias a semanas após uma infecção bacteriana ou viral.

As infecções bacterianas precedentes comuns incluem aquelas causadas por Campylobacter jejuni, Haemophilus influenzae e Mycoplasma pneumoniae.

Infecções virais que podem precipitar síndrome de Guillain-Barré incluem as causadas pelo vírus da hepatite A ou hepatite B, vírus Epstein-Barr, citomegalovírus e HIV.

O Instituto Nacional de distúrbios neurológicos e derrame relata que a fraqueza das pernas e formigamento representam os sintomas mais comuns apresentando síndrome de Guillain-Barré.

A paralisia tipicamente progride até o corpo, envolvendo os músculos do tronco e braços. Em casos severos, a paralisia pode estar quase completa.

A maioria dos pacientes com síndrome de Guillain-Barré vão ter a experiência de uma recuperação completa, embora a fraqueza residual pode persistir em algumas pessoas.

Sobre o Autor
Dr. Pedro Lemos - Médico Generalista escritor

Médico Generalista escritor com 35 anos de experiência em Clínica Geral / Saúde da Família.

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de profissionais de saúde ou um especialista na área de saúde.
Em caso de emergência médica ligue para 192 e solicite ajuda!
Disque Saúde SUS (Sistema Único de Saúde) ligue para 136
Centro de Valorização da Vida (CVV) ligue para 188.

publicidade