Depressão e raiva em adolescentes | Tratamento com vitaminas

Depressão e raiva em adolescentes | Tratamento com vitaminas

A pesquisa médica indica que existem estratégias nutricionais que você pode usar para reduzir a gravidade da depressão adolescente e da raiva que muitas vezes o acompanha.

publicidade

Vitaminas para adolescentes com depressão e raiva

A depressão adolescente é um problema sério e potencialmente fatal: 500.000 adolescentes na América tentam suicídio a cada ano. 5000 deles sucedem.

Se um adolescente deprimido parece estar em risco de ferir a si mesmo ou a outros, os cuidadores devem procurar ajuda médica imediatamente.

No entanto, a pesquisa médica indica que existem estratégias nutricionais que você pode usar para reduzir a gravidade da depressão adolescente e da raiva que muitas vezes o acompanha.

Vitaminas para adolescentes com depressão

Vitamina B6

Pesquisadores japoneses estudaram mais de 6.000 escolares e descobriram que níveis mais elevados de vitamina B6, medidos por questionários dietéticos, foram correlacionados com menores taxas de depressão entre meninos e meninas. Este resultado confirma um estudo mais adiantado de 140 pessoas em Massachusetts, encontrou que os níveis mais elevados de depressão foram correlacionados com níveis mais baixos do plasma desta vitamina.

Embora a ligação entre níveis mais elevados de vitamina B6 e menores taxas de depressão não é clara, uma explicação provável é que é necessário para a síntese do neurotransmissor serotonina. Porque a serotonina é um precursor da melatonina, o hormônio que induz o sono, vitamina B6 também pode melhorar o sono.

Outros estudos mostram que esta vitamina pode reduzir os níveis do hormônio prolactina, que está ligado a níveis mais elevados de hostilidade e raiva em mulheres jovens. Como altos níveis de prolactina correlacionam com a síndrome pré-menstrual, maior ingestão de vitamina B6 pode minimizar as alterações de humor durante esta fase do ciclo reprodutivo.

Se o seu adolescente é deficiente em vitamina B6, aumentar a sua ingestão deste nutriente pode melhorar a sua depressão. No entanto, se os seus níveis desta vitamina já são adequados,...

publicidade

... suplementação provavelmente não irá proporcionar nenhum benefício.

Folato

Folato, uma forma do ácido fólico, também tem sido implicado na depressão. O mesmo estudo japonês que encontrou uma ligação entre baixos níveis de vitamina B6 e depressão também encontrou uma ligação entre baixos níveis de folato e depressão. Pesquisadores na Polônia encontraram uma correlação semelhante.

Folato desempenha um papel crucial na regulação de várias moléculas que afetam o sistema nervoso. Auxilia na produção de S-adenosilmetionina, que é necessário para a síntese de serotonina e a formação de bainhas de mielina ao redor dos nervos. Folato também diminui a homocisteína, um aminoácido que é muitas vezes elevado em pacientes deprimidos e que prejudica a função de neurotransmissores e seus receptores.

Vitamina C

Um dos sintomas da deficiência de vitamina C é a depressão. Os estudos em que este nutriente foi administrado aos pacientes deprimidos mostraram que 30% melhoraram. Embora esta seja abaixo da taxa de melhoria encontrada em placebos, ele indica que a vitamina C pode melhorar a depressão para algumas pessoas, especialmente se elas têm baixos níveis em seus corpos.

Hugh D. Riordan, MD, observa que dar suplementos de vitamina C para alguém que não é deficiente no nutriente não terá nenhum efeito, afirmando: "é muito importante olhar para a bioquímica individual para ver o que está faltando e o que precisa ser melhorado. Então você pode fazer um grande negócio."

Zinco

Dr. Riordan, no mesmo artigo, discute uma mulher com depressão que foi muito ajudada pela suplementação de zinco. Um estudo científico rigoroso realizado no Japão valida sua impressão. Neste estudo, as mulheres foram divididas aleatoriamente em dois grupos. O primeiro grupo recebeu apenas vitaminas, e o segundo grupo recebeu vitaminas contendo 7 mg de...

publicidade

...zinco. As mulheres do grupo zinco mostraram reduções estatisticamente significantes na depressão e na hostilidade, mas as mulheres no grupo somente com vitaminas não mostraram melhorias.

Estratégias dietéticas

O pensamento o mais atrasado na depressão é que é uma desordem inflamatória e que as citocinas produzidas pela inflamação alteram níveis do neurotransmissor. Uma revisão recente da literatura médica encontrou que ômega-3 pode ser uma boa terapia para a depressão na infância e a depressão adolescente, talvez porque reduzem a inflamação. Alguns estudos também descobriram que eles são eficazes na redução da hostilidade em jovens.

Se a insônia é um problema para os adolescentes, eles podem querer complementar com o óleo de linhaça, porque contém uma mistura de ômega-3, ômega-6, e ômega-9 ácidos graxos que atuam como precursores de substâncias envolvidas na iniciação e manutenção do sono.

Algumas pessoas com depressão crônica melhoraram eliminando o glúten, que é encontrado no trigo, na cevada, no centeio, no triticale, no espelta e no Kamut, de suas dietas. Outras melhoraram identificando e eliminando alérgenos de alimentos ou em seus ambientes.

A lição de pesquisa sobre vitaminas e depressão, porém, é que não há "bala mágica" para a depressão que será igualmente eficaz para todos. A melhor estratégia nutricional para combater a depressão é comer uma dieta equilibrada rica em grãos inteiros, legumes e ácidos graxos ômega-3 e para eliminar os alimentos que a pessoa, por qualquer motivo, não tolera bem.

Um médico pode requisitar o exame de sangue que determinará que nutrientes podem estar em falta no adolescente, assim permitindo que você complemente sua dieta de maneira mais eficaz. Este processo requer esforço e disciplina, mas pode salvar o seu adolescente de anos de infelicidade.

publicidade

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de profissionais de saúde ou um especialista na área de saúde.
Em caso de emergência médica ligue para 192 e solicite ajuda!
Disque Saúde SUS (Sistema Único de Saúde) ligue para 136
Centro de Valorização da Vida (CVV) ligue para 188.