6 Dicas de Nutrição por uma Nutricionista
Autor:

6 Dicas de Nutrição por uma Nutricionista

Descubra 6 Dicas de Nutrição emude a sua forma de pensar em: comer fora de casa, produtos light e diet, café, alimentos orgânicos, menopausa. Veja mais!

1- É saudável comer fora de casa?

O lugar ideal para fazermos nossas refeições é em nossa própria casa, pois desta maneira sabemos exatamente o que estamos consumindo. Mas muitos não têm este privilégio, devido ao trabalho, ou até mesmo por correria do dia-a-dia, sendo assim obrigado a comer fora de casa.

Então devemos dar sempre preferência a restaurantes mais saudáveis, com mais diversidade de alimentos, como buffet, comida por kilo, e tentar evitar churrascarias, lanchonetes e fast-food. E sempre procurar consumir alimentos mais saudáveis, sempre deixando o prato bem colorido com bastante verdura, legumes e preferir a famosa combinação brasileira, o arroz e feijão. E lembre-se sempre de maneirar nas quantidades e dar valor à qualidade.

2- Qual a diferença entre produtos diet e light?

Esta é uma dúvida muito frequente, e por isto a confusão é fácil de acontecer. De acordo com Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), o termo diet pode ser usado em 2 tipos de alimentos: nos alimentos para dietas com restrição de nutrientes (carboidratos, gorduras, proteínas, sódio); nos alimentos para dietas com ingestão controlada de alimentos (para controle de peso ou de açúcares).

Os alimentos para dietas controladas não podem ter a adição de nutriente. Assim, para ingestão controlada de açúcar, não pode haver inclusão de nutrientes que possuam o açúcar natural do alimento como, por exemplo, a geléia diet que tem como açúcar natural a frutose.

É importante que fique claro que nem todos os alimentos diet apresentam diminuição significativa na quantidade de calorias e, portanto, devem ser evitados pelas pessoas que querem emagrecer. A definição de alimento light deve ser empregada nos produtos que apresentem redução mínima de 25% em determinado nutriente ou calorias comparado com o alimento convencional.

Dessa maneira, a primeira diferença entre o alimento diet e light está na quantidade permitida de nutriente. Enquanto que o diet precisa ser isento, o light deve apresentar uma diminuição mínima de 25% de nutrientes ou calorias em relação ao alimento convencional.

A segunda diferença é conseqüência da primeira: o alimento light não é, necessariamente, indicado para pessoas que apresentem algum tipo de doença como diabetes, colesterol elevado, celíacos ou fenilcetonúricos. Se, o alimento light apresentar eliminação do nutriente, por exemplo, açúcar (refrigerante light), poderá ser consumido pelos diabéticos.

Por isso é muito importante sempre ler os rótulos dos alimentos com muita atenção, comparando os produtos light e diet com os alimentos convencionais. É muito importante também verificar se eles atendem às suas necessidades.

3- Café faz bem a saúde? Qual a quantidade ideal?

Como todos nós sabemos tudo que é em excesso faz mal à saúde, ou seja, o consumo excessivo de café pode trazer aos...

... consumidores problemas psicológicos e psicossomáticos, como: ansiedade, angústia, depressão, problemas de sono, tremedeiras, irritabilidade, aumento da pressão arterial e palpitações cardíacas.

Cada pessoa reage diferentemente aos efeitos da cafeína, mas na maioria das vezes negativamente. A cafeína age sobre o sistema neurobiológico e amplifica as consequências psicobiológicas do estresse. Também aumenta problemas hepáticos e reduz o bom funcionamento do fígado.

O café apresenta um metal pesado em sua composição, o cádmio. Esse metal acumula-se nas membranas das células e faz com que os nutrientes (glicose, aminoácidos, vitaminas, minerais, ácidos graxos e água) não consigam entrar, tornando-as desnutridas.

Então lembre-se, café e cafeína não possuem riscos à saúde se consumido em doses moderadas. A quantidade ideal é de 3 a 4 xícaras (pequenas, a de café mesmo) por dia.

4- O que são alimentos orgânicos?

Alimento orgânico é aquele que é cultivado sem o uso de adubos químicos ou agrotóxicos. Este tipo de alimento além de ser mais nutritivo, evita problemas de saúde causados pela ingestão de substâncias químicas tóxicas presentes nos alimentos não-orgânicos.

Além disso, o local de cultivo deste alimento é conservado, protegendo a qualidade da água, a fertilidade do solo, a vida silvestre, ou seja, o sistema de cultivo orgânico observa as leis da natureza, respeitando as diferentes épocas de safra.

5- Qual deve ser a porção diária de frutas, legumes e verduras?

É necessário que o profissional da área de nutrição planeje o programa alimentar, pois este varia conforme sexo, peso, idade, altura e necessidades individuais. Em média, a maioria dos indivíduos necessita de, pelo menos, um número mínimo de porções dentro das variações recomendadas, ou seja, a ingestão diária de frutas é de 2 a 4 porções/dia, verduras de 4 a 5 porções/dia, e leguminosas 2 a 3 porções/dia.

6- Qual é a relação de ganho de peso na menopausa?

As alterações nos níveis hormonais após a menopausa levam a mudanças no formato do corpo. A proporção entre gordura corporal e massa muscular ou magra se modifica mesmo em mulheres que mantiveram o mesmo peso ao longo da vida. Enquanto uma jovem de 25 anos com 58 quilos, por exemplo, tem 27% de gordura na composição de seu peso, a mulher de 50 anos e mesmo peso terá 40% de gordura corporal.

Sem dúvida o estilo de vida e a dieta estão associados a essas alterações. Mulheres que levam vida sedentária e comem mais do que gastam de energia podem sentir mudanças no formato e proporção de gordura no corpo no início dos 40 anos, ou seja, bem antes da época da menopausa.

A prática de exercícios aeróbicos e de musculação é capaz de reverter essa tendência, além de melhorar muito...

publicidade

...a condição física das mulheres durante e após a menopausa.

Atividades vigorosas como corrida, ginástica e levantamento de peso levam o músculo a exercer sobrecarga sobre o osso, o que estimula o processo de reconstituição óssea permanente de nosso esqueleto é preciso ter cuidado com as refeições para não engordar durante essa fase. O metabolismo fica mais lento já a partir dos 40 anos e as necessidades calóricas diminuem em média 2% ao ano.

Dietas com menos de 1.200 calorias diárias dificilmente fornecem as quantidades adequadas dos nutrientes essenciais. Os regimes com poucas calorias e nutrientes, ou com menos de 600 calorias por dia, são contra-indicados para qualquer tipo de pessoa, e muito menos para mulheres em idade de pós-menopausa. Podem provocar disfunção cardíaca e até problemas mais graves.

O correto é alimentar-se de maneira equilibrada, reduzindo a ingestão de calorias com refeições leves, pobres em gordura e açúcar e incorporando à rotina do dia-a-dia a prática de exercícios.

7- O que é ração humana?

A ração humana é uma mistura de diferentes tipos de ingredientes ricos em fibras, entre eles estão: linhaça, colágeno, fibra de trigo, aveia, leite de soja, açúcar mascavo, castanha, gergelim, gérmen de trigo, levedo de cerveja e quinua.

Existem outros ingredientes que podem ser colocados a mais ou não nesta mistura, pois hoje no mercado já existem vários tipos de ração humana, tanto salgada ou doce.

Ela controla o colesterol e diabetes, aumenta a resistência orgânica, regula o intestino e ajuda na desintoxicação do organismo. E beber sempre muita água, pois além da água ser essencial ao nosso organismo, ela ajuda no bom funcionamento do intestino junto com a ração humana.

8- Dicas de alimentação ideal para manter a forma.

A alimentação ideal para manter a forma é aquela que levaremos para o resto de nossas vidas, pois é muito importante sabermos fazer uma reeducação alimentar, ela sim é para o resto da vida. Uma dieta equilibrada e nutritiva deve ter cinco características:

  • 1) Adequação: A alimentação deve ser apropriada às diferentes fases e condições de vida, às atividades, às circunstâncias fisiológicas e de doenças.
  • 2) Qualidade: Deve conter variedade de alimentos que satisfaça todas as necessidades do corpo. Os alimentos devem ser nutritivos e não apenas conterem calorias vazias.
  • 3) Quantidade: Deve ser suficiente para atender o organismo em todas as suas necessidades.
  • 4) Harmonia: o equilíbrio entre os nutrientes, em relação á quantidade e qualidade.
  • 5) Variedade: Fornecer uma ampla seleção de alimentos diariamente, pois os alimentos são diferentes, apresentando diferentes nutrientes.

E lembre-se sempre de fazer algum tipo de ATIVIDADE FÍSICA! Pois a união: alimentação saudável + atividade física = SAÚDE SEMPRE e corpo em forma!

Dra. Joyce R. Diacov
CRN-3: 24831

Sobre o Autor
Dr. Pedro Lemos - Médico Generalista escritor

Médico Generalista escritor com 35 anos de experiência em Clínica Geral / Saúde da Família.

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de profissionais de saúde ou um especialista na área de saúde.
Em caso de emergência médica ligue para 192 e solicite ajuda!
Disque Saúde SUS (Sistema Único de Saúde) ligue para 136
Centro de Valorização da Vida (CVV) ligue para 188.

publicidade