Doença Pulmonar Restritiva: tipos, causas e tratamento
Autor: Dr. Pedro Lemos

Doença Pulmonar Restritiva: tipos, causas e tratamento

Doenças pulmonares restritivas são condições pulmonares crônicas que limitam a capacidade dos pulmões de uma pessoa para se expandir durante a inalação.

Doenças pulmonares restritivas são condições pulmonares crônicas que limitam a capacidade dos pulmões de uma pessoa para se expandir durante a inalação.

A maioria dos casos de doenças pulmonares restritivas não são curáveis, mas muitas vezes são manejáveis com medicamentos e regimes de exercício.

O que são doenças pulmonares restritivas?

As condições pulmonares de longo prazo são tradicionalmente separadas em duas categorias principais baseadas em como afetam a respiração de uma pessoa. Estas categorias são ou obstrutivas ou restritivas.

Uma terceira categoria, denominada doença pulmonar mista, é menor e tem características de doenças pulmonares obstrutivas e restritivas.

Doença pulmonar mista mais comumente ocorre em pessoas com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), que também têm insuficiência cardíaca congestiva.

Em casos de doenças pulmonares obstrutivas, tais como asma, bronquiectasias, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), e enfisema, os pulmões são incapazes de expelir o ar corretamente durante a exalação.

As doenças pulmonares restritivas, por outro lado, significam que os pulmões são incapazes de expandir totalmente, então eles limitam a quantidade de oxigênio recolhida durante a inalação.

Esta limitação também restringe o que pode ser expirado quando comparado a uma pessoa média.

Doenças pulmonares restritivas causam uma diminuição da capacidade pulmonar ou volume, por isso a taxa de respiração de uma pessoa aumenta muitas vezes para atender às suas demandas de oxigênio.

As doenças pulmonares mais restritivas são progressivas, o que significa que piora ao longo do tempo.

Um estudo estimou que, de 2007 a 2010, 6,5% dos americanos com idade de 20 a 79 tinha doença pulmonar restritiva.

Tipos

As doenças pulmonares restritivas são muitas vezes divididas em dois grupos, dependendo se a sua causa é intrínseca ou comum.

Distúrbios pulmonares restritivos intrínsecos causam uma anormalidade interna, geralmente levando à rigidez, inflamação e cicatrização dos tecidos pulmonares.

Tipos de doenças e condições envolvidas em doenças pulmonares restritivas intrínsecas podem incluir:

  • pneumonia
  • tuberculose
  • Sarcoidose
  • fibrose pulmonar idiopática
  • doença pulmonar intersticial
  • câncer de pulmão
  • fibrose causada pela radiação
  • artrite reumatóide
  • Síndrome de angústia respiratória infantil e aguda
  • doença inflamatória intestinal (inflamação)
  • Lúpus sistêmico

Doença pulmonar restritiva é causada por complicações com tecidos ou estruturas fora dos pulmões, incluindo condições neurológicas.

Fatores externos que causam uma doença pulmonar restritiva externa são muitas vezes associados com os músculos enfraquecidos, nervos...

... danificados, ou o endurecimento dos tecidos da parede torácica.

Tipos de doenças e condições envolvidas em doenças pulmonares restritivas, podem incluir:

  • efusão pleural, ou o acúmulo de fluido excessivo entre as camadas de tecido em torno dos pulmões
  • escoliose, ou torção da espinha
  • doenças ou condições neuromusculares, como a doença de Lou Gehrig (ALS), esclerose múltipla e distrofia muscular
  • obesidade
  • miastenia gravis, ou fraqueza muscular intermitente
  • tumores malignos
  • danos nas costelas, especialmente fraturas
  • ascite, ou inchaço abdominal ligado com cicatrizes do fígado ou câncer
  • paralisia do diafragma
  • cifose, ou corcunda da parte superior das costas
  • hérnia do diafragma
  • insuficiência cardíaca

Sintomas

A maioria das pessoas com doenças pulmonares restritivas têm sintomas semelhantes, incluindo:

  • falta de ar, especialmente com esforço
  • incapacidade de recuperar a respiração ou obter fôlego suficiente
  • tosse crônica ou uma tosse de longo prazo, geralmente seca, mas às vezes acompanhado por expectoração branca ou muco
  • perda de peso
  • dor no peito
  • respiração ofegante ou ofegante
  • fadiga ou exaustão extrema sem uma razão lógica
  • depressão
  • ansiedade

Diagnóstico

Um médico irá normalmente executar ou encomendar um teste de função pulmonar para avaliar a capacidade pulmonar total, ou a quantidade total de ar que os pulmões tomam quando uma pessoa inala.

A capacidade pulmonar total é geralmente diminuída em doenças pulmonares restritivas.

Outros testes podem ser necessários para um diagnóstico completo e para garantir o plano de tratamento correto ser organizado.

Os testes específicos usados são geralmente determinados por se a causa suspeita da doença pulmonar restritiva é intrínseca ou de origem.

Testes que mostram funcionamento pulmonar reduzido podem indicar que a cicatrização, endurecimento ou inflamação está afetando uma grande porção dos pulmões.

Os testes comumente usados para doenças pulmonares restritivas incluem:

  • Teste de capacidade vital forçada, que envolve a inalação e enchimento dos pulmões com o máximo de ar possível, em seguida, expirar com tanta força quanto possível. O teste de capacidade vital forçada daqueles com doenças pulmonares restritivas é tipicamente diminuído. Um valor do teste de capacidade vital forçada de menos ou igual a 80% do que é esperado pode ser um sinal de uma doença restritiva.
  • Volume expiratório forçado em 1 segundo (FEV1) teste, que mede a quantidade de ar expirado durante o primeiro segundo do teste de capacidade vital forçada. A maioria das pessoas expelir...

    publicidade

    ...cerca de três quartos do ar inalado durante este período inicial de expiração. Em doença restritiva, porque o teste de capacidad evital forçada geralmente é reduzido, o FEV1 será menor, proporcionalmente.

  • FEVI ao teste da relação de capacidade vital forçada, que compara a quantidade de ar expelida durante o primeiro segundo da exalação (FEV1) à quantidade total de ar exalada durante um teste de capacidad evital forçada. Esta proporção é frequentemente normal ou mesmo aumentada naqueles com doença pulmonar restritiva.
  • Raio x do tórax, que cria imagens de toda a área torácica e pulmonar para avaliação.
  • Tomografia computadorizada, que criam imagens mais detalhadas da área torácica e pulmonar em comparação com raios-x do tórax.
  • Broncoscopia, onde um tubo flexível com uma câmera é inserido através do nariz ou da boca para as vias aéreas do pulmão para exame.

Tratamento

Os planos de tratamento dependem da causa ou do tipo de doença pulmonar restritiva.

Em alguns casos, entregar o oxigênio a uma pessoa que usa a terapia do oxigênio pode ser necessário para ajudá-los a respirar corretamente.

Em casos severos, cirurgia de transplante pulmonar, cirurgia corretiva, ou terapia de células estaminais podem ser opções.

Medicamentos comumente usados para tratar doenças pulmonares restritivas incluem:

  • azatioprina
  • ciclofosfamida
  • corticosteróides, geralmente em uma forma de inalador
  • metotrexato
  • outros immunosuppressing e anti-inflamatórios
  • medicamentos medicamentos anti-cicatrizes, como pirfenidona ou nintedanib

Infelizmente, a maioria das cicatrizes, espessamento, ou perda de elasticidade associada a doenças pulmonares restritivas é irreversível. Há maneiras, no entanto, para reduzir os sintomas ou o impacto de doenças pulmonares restritivas.

Fazer exercícios em casa e fazer algumas mudanças de estilo de vida foram mostrados para reduzir a severidade dos sintomas de doença restritiva.

Métodos comumente recomendados incluem:

  • condicionamento de respiração, muitas vezes rebocado respiração labial, respiração lenta-profunda, ou respiração do diafragma
  • exercícios de reforço e condicionamento do membro superior e inferior
  • exercícios de fortalecimento do músculo respiratório
  • andar nivelado
  • relaxamento ou meditação visualizada
  • comer uma dieta equilibrada, nutritiva
  • parar de fumar
  • evitae ambientes com toxinas, irritantes ou alérgenos que podem agravar os sintomas

Seguir um plano de tratamento e aderir a certas mudanças de estilo de vida pode ajudar a aliviar os sintomas de uma doença pulmonar restritiva e melhorar a qualidade de vida de uma pessoa.

Sobre o Autor
Dr. Pedro Lemos - Médico Generalista escritor

Médico Generalista escritor com 35 anos de experiência em Clínica Geral / Saúde da Família.

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de profissionais de saúde ou um especialista na área de saúde.
Em caso de emergência médica ligue para 192 e solicite ajuda!
Disque Saúde SUS (Sistema Único de Saúde) ligue para 136
Centro de Valorização da Vida (CVV) ligue para 188.

publicidade