Espondilite Anquilosante | Causas, Sintomas e Tratamento
Autor: Dr. Pedro Lemos

Espondilite Anquilosante | Causas, Sintomas e Tratamento

Espondilite Anquilosante é um tipo de artrite que afeta principalmente a coluna vertebral ou as costas.

publicidade

O que é espondilite anquilosante?

Espondilite anquilosante é um tipo de artrite que afeta principalmente a coluna vertebral ou as costas.

As articulações e ligamentos ao longo da espinha ficam inflamadas.

A inflamação produz dor e rigidez que geralmente começa na parte inferior das costas ou nádegas, e pode progredir para a coluna superior, peito e pescoço.

Ao longo do tempo, as articulações e ossos (vértebras) podem crescer juntos, fazendo com que a espinha se torne rígida e inflexível. Outras junções, tais como os quadris, os ombros e os joelhos podem igualmente ser afetados.

Como é uma doença sistêmica, o que significa que pode afetar os órgãos.

Causas de Espondilite anquilosante 

A causa da espondilite anquilosante é desconhecida, mas os genes e a hereditariedade desempenham um papel importante.

Especialistas descobriram um gene chamado HLA-B27 que é encontrado em aproximadamente 90% dos caucasianos e somente 8% dos caucasianos sem o gene, sugerindo que este gene joga um papel importante no desenvolvimento da doença.

Algumas evidências sugerem que pode ser desencadeada por uma infecção.

Os estudos centraram-se sobre diversas bactérias que podem influenciar o desenvolvimento da espondilite.

Quem é afetado por espondilite anquilosante?

Quase meio milhão de pessoas nos Estados Unidos são afetados por espondilite.

A doença é mais comum nos homens do que nas mulheres. Espondilite anquilosante pode se desenvolver na infância, e os meninos são mais propensos a desenvolver do que as meninas.

Quando as crianças desenvolvem espondilite anquilosante, os sintomas geralmente começam nos quadris, joelhos e posterior progresso para a espinha.

Esta doença ocorre mais frequentemente em caucasianos, em populações asiáticas e hispânicas.

Sintomas de espondilite anquilosante

Os sintomas mais comuns de espondilite anquilosante é a dor crônica e rigidez na parte inferior das costas, nádegas e quadris que normalmente se desenvolve lentamente ao longo de várias semanas ou meses. 

O primeiro sinal é a inflamação nas áreas onde a espinha dorsal se une à pélvis. Isso ocorre freqüentemente entre as idades de 17 e 35. Os sintomas mais comuns precoce de como são:

  • Dor crônica e rigidez na parte inferior das costas, nádegas e quadris (geralmente se desenvolve lentamente ao longo de várias semanas ou meses)
  • Dor e rigidez que piora durante períodos de descanso ou inatividade e...

    publicidade

    ... melhora com movimento e exercício

  • Dor nas costas durante a noite ou de manhã cedo
  • Sensacão de muita rigidez na parte da manhã

Espondilite Anquilosante como efeitos a longo prazo

Ao longo do tempo, a dor e a rigidez pode progredir para a coluna vertebral superior e até mesmo para a costela e pescoço.

Em última análise, a inflamação pode causar a junção sacro-ilíaca e ossos vertebrais que se fundem ou crescem juntos.

Quando os ossos se fundem, a espinha perde a sua flexibilidade normal e torna-se rígida.

A caixa torácica também pode fundir, que pode limitar a expansão torácica normal e tornar a respiração mais difícil. Inflamação e dor também pode ocorrer nos quadris, ombros, joelhos, tornozelos, dedos  que podem limitar a mobilidade.

Os pés podem ser afetados, tornando-se desconfortável para ficar ou andar em superfícies duras.

Os fumantes que têm espondilite anquilosante têm mais danos espinhais do que não fumantes com o mesmo nível de atividade da doença.

Ter a doença também está ligado a um risco aumentado de doença cardíaca e derrame.

A doença pode causar febre, perda de apetite, fadiga e inflamação nos pulmões, coração e olhos.

Inflamação ocular (chamado irite ou uveíte) ocorre em mais de um quarto de pessoas com espondilite anquilosante. Irite causa vermelhidão e dor no olho que piora com a exposição à luz brilhante.

Diagnóstico de espondilite anquilosante

Para diagnosticar, o médico vai perguntar sobre o seu histórico médico, examinar suas articulações e espinha, realizar testes de imagem de sua pélvis e pode fazer exames de sangue.

Tratamento para espondilite anquilosante

Tratamento para a espondilte anquilosante deve se concentrar na redução da dor e rigidez e prevenção de deformidades conjuntas e permitir a continuação das atividades normais.

As opções incluem:

Analgésicos

O médico pode recomendar analgésicos sobre o balcão (analgésicos), tais como paracetamol (Tylenol) ou prescrever um analgésico opióides, como tramadol (Ultram).

Anti-inflamatórios não esteróides (AINEs)

Antiinflamatórios não esteroides são o tratamento recomendado de primeira linha para espondilite anquilosante.

Eles ajudam a aliviar os sintomas de dor e rigidez que vêm com esta condição.

Antiinflamatórios não esteroides que podem ser usados para tratar incluem drogas, como ibuprofeno (Advil) e naproxeno (Aleve), bem como os medicamentos prescritos Indomethacin, Diclofenaco ou Celecoxib.

Corticosteróides

Injeções de corticosteróides na...

publicidade

...articulação ou em torno dos tendões podem proporcionar alívio.

No entanto, estes tratamentos funcionam melhor para pacientes com artrite longe da espinha; Eles não reduzem a dor e rigidez na espinha.

Cirurgia

Cirurgia de substituição conjunta permite que muitas pessoas consigam recuperar o uso de articulações danificadas.

Espondilite anquilosante com auto cuidado

Uma das melhores maneiras de cuidar de sua saúde se você tem espondilite anquilosante é tomar um papel pró-ativo em seu próprio tratamento, um processo chamado auto cuidado. 

Aqui estão algumas maneiras que você pode controlar sua doença, junto com aderir a seu programa da medicamentação.

Engajar-se na atividade física

A atividade física regular é o componente mais importante para gerenciar uma boa saúde.

O objetivo é evitar a rigidez permanente e preservar a amplitude de movimento em seu pescoço e costas.

Exercícios de respiração profunda e atividades aeróbicas ajudam a manter os músculos do seu peito e costela flexíveis.

Natação é uma boa opção porque ajuda a manter a sua coluna vertebral, pescoço, ombros e quadris flexíveis.

O reforço geral e o exercício aeróbio podem melhorar a saúde e a função global.

Converse com um fisioterapeuta que é experiente no tratamento de pessoas com artrite sobre o desenvolvimento de um programa de exercícios para atender às suas necessidades.

Parar de fumar

Como pode afetar seus pulmões e costela, que pode tornar a respiração mais difícil.

O tabagismo vai agravar qualquer problema pulmonar devido a como e é um fator de risco importante para a osteoporose (perda óssea).

Mantenha a boa postura

Manter a posição corporal adequada é importante para evitar que as articulações fiquem em posições indesejáveis.

Tirar proveito dos dispositivos de auto-ajuda

Os dispositivos de auto-ajuda podem facilitar as tarefas diárias. Um terapeuta ocupacional pode aconselhar sobre ajudas especiais ou dispositivos assistenciais.

Faça acomodações no local de trabalho

Evite levantar, inclinar-se e permanecer em posições apertadas ou dobradas.

Mantenha uma boa postura ajustando a altura da sua cadeira ou monitor de computador.

Algumas pessoas encontram alívio ao alternar entre a posição e a sessão e o uso de uma almofada para suportar uma parte traseira dolorosa.

Se possível, levantar dar cadeira e alongar e dar uma volta e ter períodos curtos de descanso durante todo o dia.

Sobre o Autor

Médico Generalista escritor com 35 anos de experiência em Clínica Geral / Saúde da Família.

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de profissionais de saúde ou um especialista na área de saúde.
Em caso de emergência médica ligue para 192 e solicite ajuda!
Disque Saúde SUS (Sistema Único de Saúde) ligue para 136
Centro de Valorização da Vida (CVV) ligue para 188.

publicidade