Medicina Alternativa | A lavanda realmente ajuda com a ansiedade?

Medicina Alternativa | A lavanda realmente ajuda com a ansiedade?

Medicina popular tradicional concorda que o cheiro de algumas plantas pode acalmar os nervos. Agora, uma nova pesquisa sugere que um composto perfumado presente na lavanda pode diminuir a ansiedade, estimulando o nariz a transmitir sinais ao cérebro.

publicidade
publicidade
Sintomas e Doenças

Lavanda pode ajudar contra a ansiedade

Medicina popular tradicional concorda que o cheiro de algumas plantas pode acalmar os nervos. Agora, uma nova pesquisa sugere que um composto perfumado presente na lavanda pode diminuir a ansiedade, estimulando o nariz a transmitir sinais ao cérebro.

Investigadores da Universidade de Kagoshima, no Japão, estudaram em ratos o efeito do linalol, um álcool de cheiro doce que está presente nos óleos essenciais de lavanda e outras plantas aromáticas.

Eles mostraram que a exposição ao vapor de linalol afeta o cérebro através do cheiro e não sendo absorvido pela corrente sangüínea através dos pulmões.

Outro achado importante foi que, ao contrário das drogas ansiolíticas ou antiansiedade, como o benzodiazepínico, o linalol funciona sem prejudicar o movimento.

Os pesquisadores sugerem que seu estudo abre o caminho para novas investigações sobre como usar as propriedades calmantes do linalol em humanos, citando a necessidade de "alternativas mais seguras" para os benzodiazepínicos e outros medicamentos anti-ansiedade. 

Uma aplicação que eles prevêem é ajudar as pessoas a se submeter à cirurgia para relaxar antes de receber anestesia geral.

Um artigo sobre o estudo agora aparece na revista Frontiers in Behavioral Neuroscience.

Ansiedade e linalol

Lavanda ajuda com a ansiedade

A ansiedade pode variar de preocupação ou medo de curta duração sobre um problema, decisão ou situação estressante, como fazer um exame, até uma condição duradoura ou crônica que não desaparece.

Quando a ansiedade é...

publicidade ;)

... crônica, os sintomas podem piorar progressivamente e perturbar a vida diária, o trabalho, os relacionamentos e a escola.

Existem várias formas da condição, que são coletivamente denominadas transtornos de ansiedade. Estes incluem transtorno do pânico, transtorno de ansiedade generalizada e condições relacionadas à fobia.

Estimativas para 2015 da Organização Mundial da Saúde (OMS) sugerem que os transtornos de ansiedade afetam 3,6% da população global e que esse número varia entre os países. Nos Estados Unidos, a prevalência é de cerca de 6,3%.

O estudo recente não é o primeiro a investigar os efeitos calmantes do linalol, observa o co-autor Dr. Hideki Kashiwadani, da Escola de Pós-Graduação de Ciências Médicas e Odontológicas da Universidade de Kagoshima.

"No entanto", relata o Dr. Kashiwadani, "os locais de ação do linalol geralmente não foram abordados nesses estudos".

Rota olfativa para o cérebro

A suposição predominante era que a inalação de linalol levou à sua absorção pelos pulmões para a corrente sanguínea. A partir da corrente sanguínea, ela poderia então alcançar proteínas sensíveis ao sinal chamadas receptores de ácido gama-aminobutírico tipo A (GABAA) em células nervosas, ou neurônios, no cérebro. As benzodiazepinas também têm como alvo esses receptores.

Dr. Kashiwadani e seus colegas usaram vários experimentos envolvendo, por exemplo, uma "caixa de luz / escuridão" e um "labirinto em cruz elevado", para testar o efeito da exposição ao vapor de linalol em camundongos normais.

Eles viram que o composto exercia...

publicidade

..."um efeito ansiolítico sem comprometimento motor". Isto está em contraste com benzodiazepinas e injetado linalol, que prejudicam o movimento de forma semelhante ao álcool consumido.

Expor camundongos que não tinham olfato no composto não produziu o mesmo efeito, confirmando, assim, que o "input olfativo" era a rota para o cérebro.

Além disso, quando os cientistas pré-trataram os camundongos normais com o medicamento flumazenil antes de permitir que eles sentissem o cheiro do vapor de linalol, os animais não apresentaram redução na ansiedade. Flumazenil bloqueia os receptores GABAA que respondem ao benzodiazepínico.

Alternativa aos ansiolíticos atuais

"Quando combinados", observa Kashiwadani, "estes resultados sugerem que o linalol não atua diretamente nos receptores GABAA, como os benzodiazepínicos, mas os ativa através de neurônios olfatórios no nariz, a fim de produzir seus efeitos relaxantes".

Ele diz que mais pesquisas são necessárias para testar a segurança e a eficácia do linalol e descobrir os locais exatos no cérebro que o composto alveja.

Além de ser um potencial relaxante para as pessoas que vão se submeter à cirurgia, o composto também pode oferecer uma alternativa para aqueles que lutam contra a "administração oral ou supositória de ansiolíticos, como bebês ou idosos confusos", acrescenta Kashiwadani.

"Nosso estudo também abre a possibilidade de que o relaxamento visto em camundongos alimentados ou injetados com linalol poderia, de fato, ser devido ao cheiro do composto emitido em sua respiração exalada." Dr. Hideki Kashiwadani

publicidade

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de profissionais de saúde ou um especialista na área de saúde.
Em caso de emergência médica ligue para 192 e solicite ajuda!
Disque Saúde SUS (Sistema Único de Saúde) ligue para 136
Centro de Valorização da Vida (CVV) ligue para 188.