12 Mitos e Verdades sobre as Vacinas
Autor: Dr. Pedro Lemos

12 Mitos e Verdades sobre as Vacinas

Vacinas podem protegê-lo quando você está perto de pessoas que não estão vacinadas em qualquer lugar do mundo.

publicidade

Qual é o problema real da vacina?

Quando se trata da história das vacinas, realmente foi um passeio longo e acidentado.

A vacina por muitas vezes é considerada como a maravilha da tecnologia moderna, outras vezes são uma fonte de suspeita e debate.

Será que algum dia vamos chegar a um acordo sobre os riscos e benefícios das vacinas?

Provavelmente não.

Abaixo estamos listando os temas discutidos sobre as vacinas, a vamos apontar o que são mitos e verdades:

Algumas vacinas contêm mercúrio

Fato

Timerosal, um conservante que contém cerca de 50% de mercúrio, impede a contaminação por bactérias. Ela pode ser encontrada em vacinas contra a gripe, de acordo com o Centers for Disease Control and Prevention (CDC).

No entanto, desde 2001, o Timerosal não esteve presente nas vacinas de rotina para crianças menores de 6 anos. E, tanto a vacina para gripe e algumas vacinas para adultos e crianças mais velhas podem ser encontrados nas versões sem Timerosal, ou com doses mais baixas.

As vacinas causam o autismo

Mito

Um estudo de 1998 por Andrew Wakefield encontrou uma ligação entre a vacina MMR com sarampo, rubéola e o autismo, desencadeando um pânico que levou à queda das taxas de imunização, e os surtos subsequentes. Desde então, o estudo foi considerado com falhas, e foi recolhido pela revista que publicou.

Em 2004, o Institute of Medicine publicou um relatório que não encontrou nenhuma evidência científica de uma relação entre a vacina MMR e autismo. Em setembro de 2010, o CDC publicou resultados semelhantes.

"É mais arriscado para o seu filho se ele não for vacinado", diz Carrie Nelson, presidente da Comissão de Saúde da Pública e da Ciência americana.

As vacinas podem ter efeitos colaterais

Fato

As vacinas não são isentas de riscos. Os efeitos colaterais mais comuns é dor no local da injeção e febre, que são tratadas com paracetamol ou ibuprofeno.

Menos comuns são as crises convulsivas e os riscos variam de acordo com a vacina. Por exemplo, 1 em 14.000 crianças sofre um ataque depois de receber a vacina tríplice, que é 1 em 3000 com a vacina MMR. Algumas crianças tem maior risco de efeitos colaterais do que outros.

Você está seguro se todos estão vacinados

Mito

Infelizmente não. "Muitas famílias acreditam que se os filhos foram vacinados em escolas, todos da mesma família teria menos possibilida de ficar doente, tornando assim muito fácil para as doenças imunopreveníveis se espalhar", diz Ari Brown, pediatra...

publicidade

... e porta-voz da Academia Americana de Pediatria.

Dra. Brown diz que isso "era" verdade quando algumas pessoas não podem ser vacinadas, devido a restrições de saúde ou idade. Além disso, você pode pegar alguns germes, como o tétano e hepatite A, a partir do solo ou alimentos contaminados, e outros não.

Vacinas podem garantir proteção

Mito

As vacinas não são uma garantia de 100% que você não vai ficar doente. Mas eles são uma grande arma na prevenção contra as doenças. Mesmo tomando a vacina da gripe você ainda pode ficar com gripe , mas é provável que seja de menos gravidade. Ou então, tomar a vacina contra catapora.

Segundo Dra. Brown a vacina de catapora é 80% eficaz contra a infecção e prevenção, mas 100% eficaz na proteção contra doenças graves. Para a melhor proteção, os especialistas contam com "imunidade em massa", quanto mais pessoas forem vacinadas na população, melhores são as chances de proteger a todos, incluindo pessoas que não podem tomar vacinas devido à idade, saúde ou por motivos religiosos.

Excesso de doses de vacina pode enfraquecer o sistema imunológico

Mito

Dra. Brown diz que é completamente o contrário. "Cada dose permite que o corpo possa montar uma resposta imune e produzindo mais anticorpos de defesa ajudando que o corpo possa lutar contra uma infecção real".

As crianças recebem as vacinas múltiplas o mais cedo possível para fornecer o máximo de proteção. Tanto o Comitê Consultivo em Práticas de Imunização e da Academia Americana de Pediatria recomenda que as vacinas sejam dadas às crianças ao mesmo tempo quando for o caso.

As vacinas são apenas para crianças

Mito

Existem numerosas vacinas que podem ajudar a manter adolescentes e adultos, jovens e velhos, saudáveis. A mais famosa entre os adultos é a vacina contra a gripe que deveria ser aplicada a dose anualmente.

Os estudantes universitários devem ter uma vacina contra a meningite antes de viver em um dormitório ou repúblicas para estudar, e idosos podem se beneficiar de vacinas contra a pneumonia. Adultos também precisam de reforços para o tétano e coqueluche.

As crianças não estão totalmente imunizadas contra coqueluche até os 4 anos, o Dr. Nelson diz; bebês menores têm alto risco, e a coqueluche pode ser transmitida aos bebês por adultos.

A vacina do HPV é só para meninas

Mito

Existem duas vacinas contra o HPV: Cervarix, para meninas e mulheres de 10 a 25 anos, e Gardasil, para o...

publicidade

...sexo feminino 9 a 26 anos. Mas a vacina também pode ser dada aos meninos e homens entre as idades de 9 a 26 anos. Gardasil protege contra os tipos 6 e 11 do papilomavírus humano, que causa cerca de 90% de todas as verrugas genitais.

As mulheres grávidas não podem receber vacinas

Mito

Bem, isso é parcialmente verdade. Segundo a Academia Americana de Médicos de Família, mulheres grávidas não devem receber vacinas para varicela (catapora) ou MMR.

"Mas a vacina inativada contra a gripe é segura e até mesmo recomendada para mulheres grávidas", diz a Dra. Brown.

Durante a gravidez, as mulheres têm o sistema imunitário comprometido, tornando-as mais suscetíveis à infecção. Mas muitos não estão recebendo a vacina contra a gripe, segundo o CDC Americano, na última estimativa, apenas 11% das mulheres grávidas foram imunizadas.

Dra. Brown diz que a vacina dispara a produção de anticorpos da mãe, protegendo o seu bebé durante os primeiros seis meses de vida.

A imunidade natural é melhor

Fato

Dr. Nelson diz que as infecções são mais propensas do que as vacinas para provocar imunidade vitalícia. (Uma exceção é a gripe, pois o vírus sobre constantes mutações.)

O problema com a imunidade natural é o risco de complicações. A catapora pode levar à pneumonia, encefalite, infecções da pele como a MRSA.

A infecção da pólio pode causar paralisia permanente, caxumba, surdez, e Haemophilus influenzae tipo B (Hib) e danos cerebrais.

As vacinas não são necessárias porque a doença foi erradicada

Mito

A única doença infecciosa humana que foi erradicada no mundo é a varíola, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Ainda hoje existem surtos de doenças como sarampo, caxumba e coqueluche.

As vacinas podem protegê-lo quando você está perto de pessoas que não estão vacinadas em qualquer lugar do mundo.

A Indústria Farmacêutica ganha muito dinheiro com as vacinas

Mito

Ao contrário que todo mundo pensa, o ramo de produzir vacinas não é o mais lucrativo, pois o trabalho é intensivo e constante em pesquisas e desenvolvimento que tem altos custos.

As vacinas são cerca de 1,5% do total da receita de indústrias farmacêuticas, diz VaccineEthics.org, um site gerido pelo Centro de Bioética Penn.

"Tivemos problemas com o suprimento de vacina porque são muito poucas empresas farmacêuticas que estão desenvolvendo vacinas", afirma Dr. Nelson. (Três décadas atrás, mais de 30 empresas produziram vacinas e hoje são cerca de 5 empresas para 80% do mercado americano).

Sobre o Autor

Médico Generalista escritor com 35 anos de experiência em Clínica Geral / Saúde da Família.

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de profissionais de saúde ou um especialista na área de saúde.
Em caso de emergência médica ligue para 192 e solicite ajuda!
Disque Saúde SUS (Sistema Único de Saúde) ligue para 136
Centro de Valorização da Vida (CVV) ligue para 188.

publicidade