O que o colesterol pode fazer para o cérebro

O que o colesterol pode fazer para o cérebro

Um estudo encontra uma conexão entre alterações do colesterol ruim (LDL) e funções cognitivas reduzidas.

publicidade

Um estudo encontra uma conexão entre alterações do colesterol ruim (LDL) e funções cognitivas reduzidas.

Há crescente evidência de que o coração e o cérebro estão conectados, pois ambos dependem de manter o sistema de sangue saudável. Agora, em um estudo publicado na revista Circulation, pesquisadores descobriram que as alterações nos níveis de colesterol LDL podem ser especialmente prejudiciais para funções cognitivas.

Os cientistas, liderados pelo Dr. Roelof Smit Leiden University Medical Center, na Holanda, estudou mais de 4000 pessoas idosas matriculadas em um estudo envolvendo uma estatina, um medicamento que reduz o colesterol LDL.

Estudos anteriores mostraram que os níveis de LDL influenciam o acidente vascular cerebral, bem como o risco de doença cardíaca, então Smit e seus colegas queriam investigar se eles têm um efeito...

publicidade

... sobre as funções cognitivas como atenção, memória e processamento de informações.

Eles só analisaram pessoas que tinham tomado a estatina por pelo menos três meses, a fim de evitar qualquer viés causado pela súbita mudança nos níveis de LDL pela droga e comparou-os a pessoas que não tomam a droga.

Pessoas com a maior variação em seus níveis de LDL, ao longo 2 anos e meio do estudo com acompanhamento mostrou as menores pontuações em testes cognitivos.

Elas levaram cerca de três segundos a mais, por exemplo, para completar um teste em que tinham que nomear a cor correta da tinta quando foi impresso em uma cor diferente.

"Estes achados adicionam as evidências emergentes que vascular [fluxo sanguíneo] fatores estão estreitamente ligados à função neurocognitiva e podem ligar...

publicidade

...para futuras pesquisas de desvencilhar a causalidade atrás de variabilidade de lipídios," ele diz.

O estudo não poderia isolar porque os níveis de LDL das pessoas oscilaram, mas mudanças na dieta e o exercício poderiam ser fatores importantes a considerar.

Alterações na capacidade do corpo para manter um equilíbrio adequado dos níveis de colesterol também podem ser um fator, desde com a idade, este equilíbrio pode ser perturbado.

Os medicamentos de estatinas eram susceptíveis de ser um grande contribuinte desde que permaneceu constante, diz Smit.

Seja qual for a razão, as variações de LDL devem ser mais estudadas, desde estudos de célula para encontrar que estas flutuações podem influenciar placas instáveis como no coração e cérebro, e aqueles que, por sua vez, podem contribuir para ataques cardíacos ou derrame.

publicidade

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de profissionais de saúde ou um especialista na área de saúde.
Em caso de emergência médica ligue para 192 e solicite ajuda!
Disque Saúde SUS (Sistema Único de Saúde) ligue para 136
Centro de Valorização da Vida (CVV) ligue para 188.