Relacionamento Psicoterapêutico | Quando Realmente Te Ajuda
Autor: Dr. Pedro Lemos

Relacionamento Psicoterapêutico | Quando Realmente Te Ajuda

Particularmente no campo da saúde mental, a necessidade de compreensão, eficácia e o tratamento continuado das doenças mentais está de acordo com o espírito do mundo.

publicidade

Relacionamento Psicoterapêutico: Quando Realmente Te Ajuda

O termo "terapeuta" aqui se refere a todo profissional de saúde mental (psiquiatra, psicólogo, assistente social, enfermeiro psiquiátrico, etc.) em que uma pessoa, a pessoa tratada, aborda um pedido para receber ajuda psicológica no contexto do desenvolvimento de uma relação terapêutica entre eles.

A crescente complexidade dos sistemas de assistência médica, subespecialidades e tecnização da medicina, assim como o fácil acesso à informação, criaram um mundo estranho para o sofredor, que, perdido em seu anonimato, sente a necessidade de uma comunicação pessoal, personalizada e humana entre ele e o médico.

Particularmente no campo da saúde mental, a necessidade de compreensão, eficácia e o tratamento continuado das doenças mentais está de acordo com o espírito do mundo. Organização da Saúde, que define saúde como o estado de saúde física, mental e física completa bem-estar social e não apenas a ausência de doença ou incapacidade. 

Na bibliografia sobre saúde mental, a posição de destaque mantida pela relação terapêutica no esforço para lidar com qualquer doença mental. Todas as abordagens psicoterapêuticas reconhecidas e faculdades como a psicodinâmica, centrada no cliente comportamental-cognitiva, sistêmica, etc.,...

publicidade

... desde o início de cada operação terapêutica, enfatizar a necessidade da chamada "aliança terapêutica". A pessoa que formula o pedido de ajuda, tem que "aliar" com a pessoa que tem a capacidade e qualificações profissionais para lhe oferecer essa ajuda e vice-versa.

Os elementos necessários para cultivar o estabelecimento de uma relação positiva com o paciente são:

  1. estabilidade, continuidade e consistência, adaptada ao quadro clínico do paciente
  2. disponibilidade, empatia e a "autenticidade" do terapeuta
  3. a configuração: as horas e dias regulares das reuniões, o espaço fixo da sessão e o mesmo terapeuta.

Além disso, mesmo para a aceitação e recebimento consistente de medicação por um paciente, o pré-requisito é a cooperação estável e suave com o médico, no contexto de um relacionamento confiança.

O conceito de "sub-subjetividade"

O conceito de "sub-subjetividade" tem suas raízes na abordagem fenomenológica e relaciona-se com o contexto da relação psicoterapêutica. É baseado no começo que o curador, como estando no mundo mais amplo, mas também em seu próprio mundo, pode ser entendido com precisão através do relacionamento interpessoal que ele desenvolve desde o seu primeiro encontro com o terapeuta. Quando, em psicoterapia, os dois...

publicidade

...exploram juntos e através das narrativas ricas do paciente, a realidade do psiquismo sua pesquisa é considerada intersubjetiva, de acordo com S.H. Foulkes.

A intersubjetividade consiste na interação entre duas subjetividades: paciente e terapeuta. E a compreensão do paciente, adquirida através de processo psicoterapêutico, é o produto dessa interação. Portanto, a consciência de que adquire, tanto o terapeuta para seu terapeuta quanto ele mesmo o curador para si é sempre característico do par que o produz ou melhor, co-fabrica-o.

"Curador e curandeiro cruzam o mesmo barco"

Uma frase que pode resumir a visão moderna da relação entre o terapeuta e paciente, que tentamos expor aqui, é o seguinte: "O curador e curandeiro é tratado no mesmo barco ". Com as palavras acima, o psicanalista britânico Wilfred Bion, tenta mostrar reciprocidade e paridade, que deve penetrar na relação entre terapeutas e seus pacientes na prestação de serviços de saúde mental. Você pode interpretar a frase acima argumentando que, curador e curandeiro, eles se parecem com eles e se misturam, de barco com a doença e navegar a interação entre eles, ao longo do curso do tratamento.

Sobre o Autor

Médico Generalista escritor com 35 anos de experiência em Clínica Geral / Saúde da Família.

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de profissionais de saúde ou um especialista na área de saúde.
Em caso de emergência médica ligue para 192 e solicite ajuda!
Disque Saúde SUS (Sistema Único de Saúde) ligue para 136
Centro de Valorização da Vida (CVV) ligue para 188.

publicidade