Esclerose múltipla na gravidez

Esclerose múltipla na gravidez

A boa notícia é que, se você tem esclerose múltipla e recebe os cuidados médicos corretos, é provável que tenha uma gravidez saudável e um bebê saudável.

publicidade
publicidade
Sintomas e Doenças

Esclerose múltipla na gravidez

A esclerose múltipla é uma desordem auto-imune que afeta o sistema nervoso central (o cérebro e a medula espinhal). Distúrbios auto-imunes são condições de saúde que acontecem quando os anticorpos atacam o tecido saudável por engano. Anticorpos são células do corpo que combatem infecções.

Se você tem esclerose múltipla, seu corpo ataca a bainha de mielina. Esta é uma cobertura que protege as células nervosas, como isolamento em volta de um fio elétrico. Danos na bainha de mielina diminuem ou interrompem as mensagens entre o cérebro e o resto do corpo. Isso pode causar sintomas leves a graves que afetam seus músculos, fala e visão. A esclerose múltipla geralmente é leve, mas com o tempo algumas pessoas com esclerose múltipla não conseguem escrever, falar ou andar.

As mulheres são cerca de 2 a 3 vezes mais propensas que os homens a ter esclerose múltipla. Geralmente é diagnosticada durante a idade fértil, entre as idades de 20 e 40. Mas isso pode acontecer em qualquer idade.

A boa notícia é que, se você tem esclerose múltipla e recebe os cuidados médicos corretos, é provável que tenha uma gravidez saudável e um bebê saudável.

Como você sabe se tem esclerose múltipla?

Sinais e sintomas de esclerose múltipla podem incluir:

  • Fraqueza muscular, rigidez ou cãibras
  • Formigamento, dormência ou dor no corpo
  • Tremor (tremor) em seus braços ou pernas
  • Perda de equilíbrio
  • Problemas andando ou movendo seus braços ou pernas
  • Problemas de fala
  • Problemas de visão
  • Fadiga (sensação de cansaço o tempo todo)
  • Tontura
  • Problemas na bexiga ou intestinos
  • Pensamentos e problemas de memória
  • Depressão. Esta é uma condição médica na qual fortes sentimentos de tristeza duram por muito tempo e interferem em sua vida diária. Precisa de tratamento para melhorar.

Esses sinais e sintomas podem ser leves ou sérios. Se você tem algum deles, informe o seu médico. O médico pode encaminhá-lo para um neurologista. Este é um médico com treinamento especial em doenças do sistema nervoso. O sistema nervoso é formado pelo cérebro, medula espinhal e nervos. Seu sistema nervoso ajuda você a se mover, pensar e sentir.

Para verificar eslerose múltipla, você pode ter estes testes:

  • Exame físico
  • Exames de sangue
  • Testes para ver como seu sistema nervoso funciona (também chamado de testes potenciais evocados)
  • Uma punção lombar. É quando seu profissional empurra uma pequena agulha para a região lombar para remover uma pequena quantidade de líquido cefalorraquidiano. O líquido cefalorraquidiano é encontrado em torno do cérebro e da medula espinhal. Seu provedor envia o fluido para teste em um laboratório.
  • Testes de imagem, como ressonância magnética (também chamado de ressonância magnética). MRI é um teste médico que faz uma imagem...

    publicidade ;)

    ... detalhada do interior do seu corpo. O teste é indolor e seguro para você e seu bebê. A ressonância magnética pode mostrar alterações no cérebro que são vistas na esclerose múltipla, como alterações teciduais anormais (também chamadas lesões) e perda de tecido cerebral (também chamado de atrofia).

Esclerose múltipla pode ser difícil de diagnosticar porque não há teste específico para isso e os sintomas são diferentes para cada pessoa. Algumas pessoas têm momentos em que estão se sentindo bem (chamadas de remissão) e momentos em que novos sintomas aparecem ou sintomas antigos pioram (chamados de crises). O seu prestador de cuidados de saúde analisa todos os seus resultados de testes e informações de saúde em conjunto para saber se tem esclerose múltipla.

Que problemas a esclerose múltipla pode causar na gravidez?

Ter esclerose múltipla parece não afetar engravidar. Durante a gravidez, muitas mulheres acham que seus sintomas de esclerose múltipla permanecem os mesmos ou até melhoram, especialmente durante o terceiro trimestre. Mas se você tem esclerose múltipla, você pode estar mais propensa do que outras mulheres:

  • Um bebê pequeno para a idade gestacional. Isso significa um bebê que é menor que o normal com base no número de semanas que ele esteve no útero.
  • Problemas para empurrar o bebê para fora durante o trabalho de parto e o parto. Isso pode acontecer se os sintomas da esclerose múltipla afetarem seus músculos e nervos pélvicos.
  • Uma cesariana (também chamada de cesariana). Esta é uma cirurgia em que seu bebê nasce através de um corte que seu médico faz em sua barriga e útero. Os especialistas não têm certeza de por que as mulheres com esclerose múltipla são mais propensas do que as outras mulheres a ter uma cesariana. Pode ser por causa de problemas musculares que podem atrasar o trabalho de parto.

Mulheres com esclerose múltipla podem ter maior probabilidade de ter um surto nos primeiros 3 a 6 meses após o parto. Mas os pesquisadores acham que estar grávida não afeta o curso geral da escleros múltipla mais tarde na vida.

Como a esclersoe múltipla é tratada?

Não há cura para a esclerose múltipla, mas os medicamentos podem ajudar a controlar os sintomas. Muitas mulheres não precisam de medicamentos durante a gravidez porque seus sintomas melhoram. Se você tem esclerose múltipla e está grávida ou pensando em engravidar, converse com seu médico sobre os medicamentos que você toma para a esclerose mútipla. Alguns podem não ser seguros durante a gravidez ou a amamentação. 

Por exemplo, muitas pessoas com esclerose múltipla tomam um medicamento chamado beta interferon (Avonex®, Betaseron® e...

publicidade

...Rebif®). Este medicamento pode ajudar a diminuir as crises e a abrandar a propagação de lesões nervosas e o curso da esclerose múltipla, mas não é seguro durante a gravidez. O interferon beta pode aumentar o risco de aborto espontâneo (quando um bebé morre no útero antes de 20 semanas de gravidez) e natimorto (quando um bebê morre no útero após 20 semanas de gravidez). Medicamentos anti-cancerígenos chamados imunossupressores são por vezes utilizados para tratar a esclerose múltipla, mas também não são seguros durante a gravidez. Seu provedor pode mudar você para um medicamento mais seguro.

Outras terapias para esclerose múltipla são importantes, especialmente durante a gravidez. Por exemplo, encontrar um grupo de apoio para pessoas com esclerose múltipla ou conversar com um conselheiro pode ser útil. Um grupo de apoio é um grupo de pessoas que têm o mesmo tipo de preocupação. Eles se reúnem para tentar ajudar uns aos outros. Exercício ou fisioterapia também pode ajudar. A fisioterapia é um programa de exercícios criado para ajudar a melhorar sua força e movimento.

O que causa a esclerose múltipla?

Não sabemos o que causa a esclerose múltipla, mas os genes podem ter um papel. Os genes são partes das células do seu corpo que armazenam instruções para a maneira como seu corpo cresce e trabalha. Os genes são passados de pais para filhos.

Cerca de 15 em cada 100 (15%) pessoas com esclerose múltipla têm um ou mais membros da família com esclerose múltipla. As pessoas que têm um histórico familiar de EM são mais propensas a ter EM do que as pessoas que não têm. Pessoas brancas, especialmente cujas famílias vêm do norte da Europa, têm o maior risco de ter EM. Pessoas de origem asiática, africana ou nativa americana têm o menor risco de ter esclerose múltipla.

Pesquisadores estão estudando para ver se vírus, infecções ou outras condições de saúde podem estar ligadas à esclerose múltipla. Por exemplo, se você tem diabetes tipo 1 ou doença da tireoide, é mais provável que você tenha esclerose múltipla do que pessoas que não têm essas condições.

Seu ambiente e estilo de vida também podem desempenhar um papel em causar esclerose múltipla. Por exemplo, as pessoas que fumam têm maior probabilidade de contrair a esclerose múltipla do que as pessoas que não fumam. A esclerose múltipla é mais comum em pessoas que não recebem luz solar suficiente ou vitamina D. Por exemplo, é mais comum em áreas mais distantes do equador, onde há menos sol. A luz solar ajuda o corpo a produzir vitamina D.

publicidade

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de profissionais de saúde ou um especialista na área de saúde.
Em caso de emergência médica ligue para 192 e solicite ajuda!
Disque Saúde SUS (Sistema Único de Saúde) ligue para 136
Centro de Valorização da Vida (CVV) ligue para 188.