Fadiga e Artrite Reumatoide: um problema que não pode ignorar

Fadiga e Artrite Reumatoide: um problema que não pode ignorar

Como é definida a fadiga na artrite reumatoide?

publicidade

Um sintoma comum raramente discutido.

Fadiga grandemente impacta as pessoas com artrite reumatoide. A maioria das pessoas sabe que artrite reumatóide está associado com dor articular e rigidez articular.

Equivocadamente, as pessoas pensam que ela é simplesmente localizado para uma ou mais articulações afetadas com a consequência de ser limitações físicas. Fato é, artrite reumatóide é uma doença sistêmica, ou seja, a doença afeta todo o organismo, não só as articulações. Este é o caso com muitos tipos de inflamatórios de artrite ou outras doenças inflamatórias.

Apesar de seu impacto sobre as pessoas com artrite reumatóide, a fadiga é um sintoma de intangível, tornando difícil de definir, discutir ou resolver. Acrescente a isso a variabilidade de fadiga, varia de pessoa para pessoa, assim como dentro de uma pessoa individual.

De acordo com pesquisa do Arthritis e Terapia (2015), a fadiga é um problema que atinge 40 a 80% das pessoas com artrite reumatóide ou espondiloartrite. Fadiga é severa para 75% dos pacientes com espondiloartrite e 50% das pessoas com artrite reumatoide.

Como é definida a fadiga na artrite reumatoide?

A fadiga é um estado de exaustão, acompanhada de diminuição de força, cansaço, mal-estar, irritabilidade e sonolência. Há também um aspecto cognitivo, a fadiga é muito mais do que o simples cansaço, a maioria das pessoas experimentam.

Com cansaço habitual, um período de repouso é suficiente para...

publicidade

... recuperar. Mas com artrite reumatóide ou outras doenças inflamatórias, descansar não é suficiente para trazer sobre recuperação da fatiga associada.

O que causa fadiga na artrite reumatoide?

Uma associação bem conhecida existente entre dor e fadiga. Altos níveis de dor se correlacionam com um elevado nível de fadiga. A associação entre a atividade da doença e fadiga, no entanto, não é bem estabelecida na literatura médica.

Investigadores consideram fadiga em artrite reumatóide ser multidimensional.

Enquanto fadiga associada com artrite reumatóide pode estar relacionada a certas características da doença, incluindo dor, inflamação, atividade da doença e dano comum, isso também pode estar relacionado a aspectos da função física, tais como deficiência, saúde qualidade de vida e qualidade do sono.

Pode haver uma associação com problemas cognitivos ou emocionais, também, como depressão ou ansiedade. Outros fatores, incluindo idade, sexo ou situação de trabalho podem contribuir também.

Em uma revisão de estudos que considerou a possível causa da fadiga em artrite reumatóide, publicado em cuidados de artrite e pesquisa em 2013, encontrou mais uma associação entre dor e fadiga. Alguns estudos não o fez, talvez devido ao desenho do estudo.

Atividade inflamatória, como evidenciado pela taxa de sedimentação ou DAS28, não mostraram uma clara associação com fadiga na artrite reumatóide de características pessoais, o comprimento de tempo uma pessoa tinha artrite reumatóide parecem correlacionar com a fadiga. Funcionamento físico...

publicidade

...e deficiência, bem como qualidade do sono, foram encontrada para correlacionar com a fadiga em artrite reumatóide.

Depressão foi um fator significativo em muitos estudos que considerou a causa da fadiga em artrite reumatóide.

Assim, parece que não há nenhuma causa identificável, única para a fadiga em artrite reumatóide é uma consequência de fatores sobrepostos e subjacentes, provavelmente envolvendo dor, deficiência (diminuição da função física) e depressão.

Reumatologistas devem dirigir a fadiga?

Muitos pacientes não trazem à tona a fadiga quando eles visitam seu reumatologista, talvez porque eles acham que é parte da doença e que pouco pode ser feito.

De acordo com os resultados da pesquisa publicada em reumatologia clínica em 2008, enquanto a maioria dos reumatologistas sentem que fadiga deve ser tratada, mesmo quando a dor é bem controlada, muitos sentem que outros profissionais de saúde estão lidando com isso.

Resultados da pesquisa revelaram que 72% dos reumatologistas comunicaram sobre fadiga durante a primeira consulta do paciente, enquanto que caiu para 33% para consultas posteriores. Melhor comunicação sobre fadiga, por parte de ambos, paciente e médico, é claramente necessário.

O que pode ser feito?

De uma perspectiva médica, reduzir a inflamação em artrite reumatóide ou outras doenças inflamatórias pode diminuir a dor e fadiga. Aumento dos níveis de citocinas pró-inflamatórias (Il-1, IL-6, TNF-α) podem estar envolvidos, para controlar a inflamação é uma prioridade.

Sobre o Autor

Médico Generalista com 35 anos de experiência em Clínica Geral / Saúde da Família.

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de profissionais de saúde ou um especialista na área de saúde.
Em caso de emergência médica ligue para 192 e solicite ajuda!
Disque Saúde SUS (Sistema Único de Saúde) ligue para 136
Centro de Valorização da Vida (CVV) ligue para 188.

publicidade