Qual é o efeito do café nos rins?

Qual é o efeito do café nos rins?

Estudos epidemiológicos com base na população tendem a mostrar uma associação entre o consumo de café e, possivelmente, um efeito protetor sobre a função renal.

publicidade
publicidade
Sintomas e Doenças

A crescente popularidade mundial do café como bebida preferida também o torna assunto de intenso estudo sobre seus efeitos na saúde.

Há pesquisas que foram feitas para estudar como o café afeta tudo, desde o nosso sistema imunológico até o risco de doenças cardíacas e até mesmo o risco de câncer.

O debate sobre se o café é bom ou ruim para você na verdade se prolongou por mais de mil anos, desde que o café foi descoberto (possivelmente) na Etiópia. É difícil imaginar hoje, mas houve momentos em que o café foi banido em certas partes do mundo, por razões de saúde ou religiosas.

Pesquisa sobre Consumo de Café e Doença Renal

Estudos epidemiológicos com base na população tendem a mostrar uma associação entre o consumo de café e, possivelmente, um efeito protetor sobre a função renal.

Um estudo de 2008 da Coreia que envolveu mais de 2600 mulheres mostrou que o consumo de café estava associado a uma diminuição do risco de doença renal, inclusive em mulheres diabéticas. Como sabemos na medicina, pesquisas com base na população não são suficientes para tirar conclusões difíceis.

Portanto, dada a natureza pertinente e possivelmente controversa do tópico, uma meta-análise publicada em 2016 tentou responder a essa mesma pergunta.

Esta meta-análise não mostrou associação entre o consumo de café e aumento do risco de doença renal em pacientes do sexo masculino.

Curiosamente, ela realmente observou a possibilidade de um risco reduzido de doença renal em mulheres que tomam café.

A conclusão sobre o café, pelo menos com base nesses dados, pode ser: inofensiva nos rins masculinos e possivelmente benéfica para as mulheres.

Os resultados da meta-análise acima são semelhantes a outro estudo de outra parte do mundo, especificamente a Costa Pacífica da Nicarágua, onde a menor prevalência de doença renal crônica em aldeias produtoras de café tem...

publicidade ;)

... sido observada.

O mecanismo exato pelo qual o café pode desempenhar esse papel protetor ainda é um assunto de estudo ativo, mas a especulação varia desde o papel dos antioxidantes presentes no café até o suposto efeito antidiabético do café.

Efeito do café em pessoas com doença renal genética

No passado, estudos científicos básicos indicavam que a cafeína poderia aumentar o risco de crescimento de cistos renais em pacientes com doença renal policística autossômica dominante (DRP). No entanto, em estudos clínicos mais atuais, o consumo de café não foi observado como um fator de risco para a progressão da doença renal policística.

Risco de pedras nos rins

Além das doenças médicas dos rins, ainda existem situações especiais em que a ingestão de café pode precisar ser moderada. Um tal cenário é pessoas que formam pedras nos rins.

Pedras de oxalato são uma das variedades mais comuns de pedras nos rins, e acontece que uma das principais fontes de oxalato em nossa dieta é o café regular (chá preto é o outro culpado).

Portanto, pacientes com cálculos renais, especialmente aqueles com cálculos de oxalato de cálcio, ainda devem considerar o café como um possível fator de risco.

Risco de câncer renal

A evidência sobre isso é bastante mista. Estudos indicaram tipicamente um risco reduzido de carcinoma de células renais com o consumo de café. No entanto, por alguma razão, esta associação parece ser verdade apenas para o café com cafeína.

O consumo de café descafeinado aparentemente aumenta o risco do subtipo de carcinoma de células renais de células claras, um tipo particular de câncer renal, mas mais estudos precisam ser feitos para entender melhor esse potencial elo.

Efeitos indiretos do café na função renal

Como discutido em outros artigos, a hipertensão arterial (após o diabetes) é a maior causa de doença renal. Existem algumas evidências de que beber...

publicidade

...café com cafeína pode causar um aumento de curta duração na pressão arterial, com os efeitos aparentemente exagerados em pacientes mais velhos e pessoas que não bebem café regularmente. O aumento da pressão arterial também é visto com mais frequência em pessoas que já têm histórico de pressão alta.

Dada essa possível ligação entre a ingestão de café e a pressão arterial elevada, muitas vezes é levantada a preocupação sobre a capacidade do café de causar danos aos rins.

Apesar dessa plausibilidade, há evidências para o contrário. Há dados que mostram que, desde que o consumo diário de café não exceda 3-4 xícaras (com cada copo de 236 ml tendo entre 100-200 mg de cafeína), não há aumento no risco de doença renal em indivíduos jovens saudáveis .

Café Descafeinado e Hipertensão

Quase de forma contraintuitiva, descobriu-se que o café aumenta a atividade do sistema nervoso, bem como a pressão sanguínea, independentemente de seu teor de cafeína. Portanto, o efeito do aumento da pressão sangüínea é visto até mesmo com café descafeinado, fazendo parecer que pode haver algo diferente de cafeína no café que poderia ser responsável por essa elevação da pressão sangüínea.

Dado o peso atual das evidências disponíveis, parece que, embora o café possa ter um efeito crescente na pressão arterial em pessoas que não bebem normalmente café e em pessoas com hipertensão pré-existente, isso não parece se traduzir em um risco aumentado de doença renal.

De fato, há evidências mistas apontando para um possível papel protetor do café na doença renal, especialmente em mulheres.

Pacientes com cálculos renais de oxalato de cálcio podem ainda querer moderar sua ingestão de café, devido ao seu conteúdo de oxalato. A evidência de que o café pode aumentar ou reduzir o risco de câncer renal permanece controversa na melhor das hipóteses.

publicidade

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de profissionais de saúde ou um especialista na área de saúde.
Em caso de emergência médica ligue para 192 e solicite ajuda!
Disque Saúde SUS (Sistema Único de Saúde) ligue para 136
Centro de Valorização da Vida (CVV) ligue para 188.